A armadura de Deus

Armadura - 1

Questões para reflexão

Deus nos chamou com um propósito: o de batalharmos “diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (Judas 3). Ele nos chamou para uma batalha. É uma luta espiritual contra os poderes celestiais das trevas (Efésios 6:11,12).

Deus sabendo disto, não nos deixou desprovidos de armamento para lutarmos contra essas forças do mal. Ele preparou nossas armas para enfrentarmos este desafio e seguirmos fielmente para vitória final ao lado de nosso Senhor Jesus Cristo. O Conjunto destas poderosas armas se chama “a Armadura de Deus”.

Precisamos revestir-nos dessa armadura se quisermos ser vitoriosos. A nossa luta não é contra os nossos semelhantes, mas contra os poderes celestiais das trevas, que pode pela astúcia de Satanás, nos afastar de Deus e nos destruir (Efésios 6:11,12). Mas se ficarmos ao lado do Senhor e buscarmos a cada dia o senhorio de Cristo em nossas vidas, não há poder que possa nos vencer (Romanos 8:35-39).

Continue lendo

Meditação – Efésios 2:8,9

Mediante a fé

Efesios-289

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8,9)

 

– Por mais que trabalhemos em prol da causa de Cristo aqui na terra, não fazemos mais do que aquilo que nos foi ordenado e por isso fazemos “apenas o que devíamos fazer” (Lucas 17:10). Por mais que nos esforcemos, nunca poderemos salvar a nós mesmos, pois a salvação vem pela graça, o dom supremo do amor e bondade de Deus.

A graça é um presente, um dom imerecido, e o Senhor nos dá livremente sem merecermos. Na verdade, o que merecíamos era a condenação, por causa de nossas transgressões, porque “todos se extraviaram e juntamente se corromperam” (Salmo 53:3a). Mesmo a fé que mediante ela somos salvos pela graça, vem de Deus, porque é Ele “quem efetua em nós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade” (Filipenses 2:13).

A fé vem por ouvir a Palavra de Deus; ela nos move a crer nEle, nos fazendo arrepender de nossos pecados e confessarmos Jesus como Filho de Deus – nosso único Senhor e Salvador -, e por fim, somos imersos nas águas para remissão de pecados. Daí adiante passamos a ter uma nova consciência, uma nova vida e um novo relacionamento com Deus em obediência, temor e santidade. Somos movidos pela fé – a fé que salva -, porque sem ela “é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6).

Portanto, por mais obras que façamos para Deus, isso não irá nos salvar, pois todo o processo de redenção e tudo que recebemos de Deus, vem pela sua graça, “não de obras, para que ninguém se glorie.” Que isto seja um estímulo para continuarmos firmes e abundantes na obra do Senhor aqui na terra, para que todos conheçam o amor, a graça e a misericórdia de Deus dadas em Jesus Cristo.

Criação – Cronologia dos acontecimentos

– Cronologia dos acontecimentos –  Gênesis 1

 

Sol-1

 

“Disse Deus: Haja luz; e houve luz.” (vers. 3). “E disse Deus: Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas.” (vers. 6). “Disse também Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim se fez.” (vers. 9). “E disse: Produza a terra relva, ervas que dêem semente e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra. E assim se fez.” (vers. 11). “Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos.” (vers. 14). “Disse também Deus: Povoem-se as águas de enxames de seres viventes; e voem as aves sobre a terra, sob o firmamento dos céus.” (vers. 20). “Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez.” (vers. 24). “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.” (vers. 26).

 

O exame cuidadoso desse capítulo revelará uma apresentação sistemática na qual os atos criativos são comprimidos num padrão de seis dias, havendo oito atos criativos introduzidos pelas palavras “E disse Deus…”. O esquema pode ser entendido mediante uma tabela simples:

 

Cronologia dos acontecimentos III

 

Se insistirmos numa estrita cronologia de acontecimentos aqui, ficaremos perturbados pelo aparecimento dos luminares no 4º dia. Esse problema é evitado se tratarmos o primeiro capítulo de Gênesis tal como outras passagens da Bíblia, que envolvem grandes fatos, mas que não tratam de maneira cronológica (conforme narrativas da tentação, em Mateus 4 e Lucas 4, que salientam o fato da tentação, mas apresentam ordens diferentes; vide também Salmo 78:13,15,24, que salienta o fato do cuidado de Deus pelo povo libertado de Israel, mas que coloca o incidente sobre o maná após o ferir da rocha, o que é contrário à ordem apresentada no relato do livro de Êxodo). Se o escritor do primeiro capítulo de Gênesis estivesse preocupado em salientar o fato da criação, e não particularmente com a sequência cronológica dos acontecimentos, então terá sido evitado certo número de dificuldades.

 

Existe um esquema razoavelmente consistente no arranjo do material apresentado. Os primeiros três dias foram preparatórios. A criação da luz e a preparação do firmamento, dos mares, da terra e da vegetação, são preliminares ao estabelecimento de habitantes num local preparado. As aves povoam o firmamento, os peixes povoam os mares, e os animais e o homem povoam a terra. Os dias primeiro e quarto não seguem com exatidão esse esquema, ainda que exista certa correlação. Os dias terceiro e sexto têm, cada qual, dois atos criativos. O sétimo dia fica fora do esquema e fala sobre o descanso desfrutador de Deus, quando Sua obra estava completa, dando o padrão de descanso para Sua criação, um dia em cada sete.

 

“E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito” (Gênesis 2:2).

 

Texto retirado de “O novo dicionário da Bíblia” volume 1 – Editor J. D. Douglas

 

–Ë—

– Comentário

Por Elcio M. P. Soares

 

Cataratas-1

 

– Existem muitas coisas que gostaríamos de saber – como os detalhes e as minúcias de toda a criação – mas não nos foi revelado, pois “as coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Deuteronômio 29:29). Tudo que precisávamos saber para crer em Deus, Ele nos revelou, e nas Escrituras Sagradas encontramos tudo que precisamos para ter vidas agradáveis ao Criador: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16,17).

 

É preciso ter fé para crer que a Bíblia é a revelação de Deus para o homem. “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem” (Hebreus 11:1). “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6). A Bíblia não é uma enciclopédia de ciências, astronomia e/ou história secular; a Bíblia é a revelação de Deus ao homem, para que este creia que Ele existe e é o Criador de todas as coisas, e desta forma O adore em temor e tremor conforme Filipenses 2:12,13.

 

Se quisermos ver Deus é só contemplar as obras de Sua criação “porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Porém a impiedade e perversão dos homens, os cegaram, não permitindo reconhecer a soberania de Deus Criador e por isso são “indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis” (Romanos 1:20-23).

 

Os que defendem o “Big-bang” e a evolução da vida a partir de uma explosão; são os mesmos que descendem do macaco – um animal irracional -, pois é desta forma que começa a existência humana nos relatos apresentados por aqueles que defendem tal teoria. Deus criou dois seres distintos – os irracionais que são os animais e o racional que é o homem (conforme Gênesis 1). Negar isso é negar a própria existência; é negar a Deus. É insensatez, estupidez e falta de sabedoria. “Deixai os insensatos e vivei; andai pelo caminho do entendimento” (Provérbios 9:6). “O temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino” (Provérbios 1:7). “Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens” (1 Coríntios 1:25). Sábio é aquele que crê em Jesus, ou seja, aquele que se apequena diante dEle e de seu senhorio. “… exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos” (Mateus 11:25).

 

Que possamos reconhecer nossa pequenez diante de Deus – o Criador -, crendo, obedecendo-O e temendo-O, pois Ele é o Senhor. “Ah! Senhor Deus, eis que fizeste os céus e a terra com o teu grande poder e com o teu braço estendido; coisa alguma te é demasiadamente maravilhosa” (Jeremias 32:17)

 

Passos para a salvação

 

escada-ceu-3

 

Para ser salva uma pessoa precisa responder ao chamado de Deus por meio de seu Filho, Jesus Cristo, seguindo e obedecendo aos seguintes passos: ouvir, crer, arrepender, confessar e batizar. Através destes passos todos tem a oportunidade de conhecer o plano infalível de Deus para a salvação. Não é possível deixar nenhum deles para traz sem que antes sejam compreendidos e aceitos, pois todos são imprescindíveis na conversão do pecador para uma nova vida de obediência, temor e reverência para com Deus. Após o batismo, ele precisará perseverar até a volta de Cristo que virá buscar aqueles que são seus.

“Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo” (Atos 2:38) é o chamado de Jesus para todos, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). Quem aceita este chamado, terá sobre si a misericórdia e a graça de Deus sendo exercida sobre sua vida até a volta de Jesus ou até quando Deus chamar.

O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé.” (Romanos 1:16,17). É preciso ter fé, pois “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11:6). E o que é fé? A própria Bíblia responde: “fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem” (Hebreus 11:1).

Que este breve estudo o(a) ajude a tomar a melhor decisão que um ser humano deve tomar: se render a Cristo Jesus como seu único Senhor e Salvador. “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6). A seguir vamos analisar cada passo, seu significado e sua responsabilidade.

1° – Ouvir:
Ouvir o que? O evangelho; as boas novas de Cristo; a boa notícia da salvação.

“Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo. Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?” (Atos 2:36,37)

2° – Crer:

– Crer em que? Que Jesus é o Filho de Deus.

 

“Filipe respondeu: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus” (Atos 8:37).

 

“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado” (Marcos 16:16).

 

Obs.: Quem não crer que Jesus é o Filho de Deus não pode ser salvo.

 

3° – Arrepender:

-Arrepender de que? Dos pecados cometidos.

 

“Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo” (Atos 2:37,38).

 

Obs.: Remissão = perdão total dos pecados concedido por Deus.

4° – Confessar:
Confessar o que? Os pecados cometidos e Jesus como seu Senhor e Salvador.

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1:9)

Jesus disse: “Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante do meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai, que está nos céus” (Mateus 10:32,33).

5° – Batismo:

 

Não existe nenhuma menção de batismo por aspersão na Bíblia, nem tão pouco de crianças recém nascidas. O batismo é para pessoas conscientes de seus atos. É uma decisão pessoal e espontânea. O batismo é o passo final para aquele que se arrepende de seus pecados para entrar numa nova vida de comunhão com Deus – salvação – selando assim o processo de sua redenção, e assim, aguardar a volta de Cristo perseverando na fé e na obediência a vontade de Deus.

 

“Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo” (Atos 2:38).

 

– “Batizado” (do grego baptizo), imerso; variação de “baptism” (batismo), ou seja “imersão”.

 

“Seguindo eles caminho fora, chegando a certo lugar onde havia água, disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que seja eu batizado? Filipe respondeu: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. Então, mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco. Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, não o vendo mais o eunuco; e este foi seguindo o seu caminho, cheio de júbilo” (Atos 8:36-39).

 

“Desceram à água”, ou seja, foram imersos. “Saíram da água”; mostrando que era muita água; água suficiente para cobri-los, ou seja, imergi-los.

 

– O batismo bíblico é por imersão como a própria palavra grega “baptism” confirma, trazendo a imagem de um sepultamento, onde o indivíduo é imerso em água, ou melhor, é sepultado em água, simbolizando a sua morte para a vida de pecado e desobediência a Deus. A pessoa sai da água – levanta ou ressuscita – para uma nova vida de temor e obediência a vontade de Deus.

A passagem de Romanos 6:2-4 diz que ao sermos batizados (imersos), somos “sepultados” como Jesus o foi; e a passagem de João 20:1-12 relata como Jesus foi sepultado, salientando o final (versículo 12) onde mostra os anjos sentados – um a cabeceira e outro aos pés – confirmando que o Senhor foi sepultado deitado e não em pé, como alguns relatam para defender o sepultamento em pé, justificando o batismo por aspersão.

Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida” (Romanos 6:2-4).

“No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra estava revolvida. Então, correu e foi ter com Simão Pedro e com o outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Tiraram do sepulcro o Senhor, e não sabemos onde o puseram. Saiu, pois, Pedro e o outro discípulo e foram ao sepulcro. Ambos corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa do que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro; e, abaixando-se, viu os lençóis de linho; todavia, não entrou. Então, Simão Pedro, seguindo-o, chegou e entrou no sepulcro. Ele também viu os lençóis, e o lenço que estivera sobre a cabeça de Jesus, e que não estava com os lençóis, mas deixado num lugar à parte. Então, entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, e viu, e creu. Pois ainda não tinham compreendido a Escritura, que era necessário ressuscitar ele dentre os mortos. E voltaram os discípulos outra vez para casa. Maria, entretanto, permanecia junto à entrada do túmulo, chorando. Enquanto chorava, abaixou-se, e olhou para dentro do túmulo, e viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde o corpo de Jesus fora posto, um à cabeceira e outro aos pés. (João 20:1-12)

Após o batismo, que é o passo final para entrar numa nova vida com Deus, a nova criatura (2 Coríntios 5:17), agora cristão – discípulo de Cristo -, precisará perseverar até a volta de seu Senhor, testemunhando a respeito dele e tendo uma vida separada das contaminações da carne, consagrando-se a Deus para seu serviço em prol de Sua obra redentora.

Perseverar:

Continuar; não desistir; esperar a volta de Cristo.

 

Jesus disse: “Sereis odiados de todos por causa do meu nome; aquele, porém, que perseverar até ao fim, esse será salvo” (Mateus 10:22).

 

– Porque “sereis odiados de todos”? Por que aquele que decide seguir a Cristo fielmente, precisa abandonar a vida de pecado que tinha antes de conhecer ao Senhor. Precisa deixar toda e qualquer forma de pecado que foi largamente imposta no mundo ao longo dos anos. Para um exemplo do que o seguidor de Cristo precisa deixar, leiamos Gálatas 5:19-21: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam”.

O discípulo de Cristo enfrentará muitos obstáculos em sua caminhada rumo ao céu. Ele incomodará àqueles que se opõem a Jesus e enfrentará perseguição, zombaria, tentações e oposição com sua nova conduta perante Deus. Esta nova conduta será esvaziada das obras da carne descritas acima e preenchida com o fruto do Espírito; veja: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gálatas 5:22-25).

 

Combate o bom combate da fé. Toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado e de que fizeste a boa confissão perante muitas testemunhas. Exorto-te, perante Deus, que preserva a vida de todas as coisas, e perante Cristo Jesus, que, diante de Pôncio Pilatos, fez a boa confissão, que guardes o mandato imaculado, irrepreensível, até à manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Timóteo 6:12-14).

 

“Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo  (2 Coríntios 5:10).

 

“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé (Hebreus 12:1,2a NVI).

 

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” (Romanos 8:1)

O que te impede de ser batizado? Decida agora seguir e obedecer Jesus, seguindo os passos rumo a salvação eterna.

Meditação – Judas 3

Batalhando pela fé

judas-3

 

Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.” (Judas 3)

 

– Quantas vezes somos obrigados a deixar de estimular uns aos outros ao amor e as boas obras para “lutar” contra opositores? Infelizmente estes opositores, muitas vezes, estão em nosso meio, dizendo-se cristãos, mas andam na contra-mão da verdade. Em nome do bem-estar, popularidade e aprovação dos homens, preferem satisfazer o desejo popular do que agradar verdadeiramente a Deus.

Conhecemos pela história da igreja e do povo de Deus na antiga aliança que todos aqueles que permaneceram firmes em sua fé para com Deus, foram perseguidos ou mortos. Não é uma tarefa fácil estar entre os poucos que optam em ficar na verdade. É preciso ter uma fé inabalável (Hebreus 11); é preciso de poder, amor e moderação, que só vem através do Espírito Santo (2 Timóteo 1:7) e é preciso ser obediente e disciplinado aos mandamentos de Deus (1 João 5:3).

Alguns cristãos tem se esforçado para edificação mútua, enquanto que poucos se esforçam sobre-maneira na luta contra a fé fácil, uma vida cristã superficial e as falsas doutrinas. Sejamos como judas, irmão de Tiago, servo do Senhor Jesus, que se aplicava ativamente na defesa da fé verdadeira que vem lá do alto.