Meditação – 2 Pedro 2:4-6

Deus não poupou

 

2-pedro-24-61“Ora, se Deus não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo; e não poupou o mundo antigo, mas preservou a Noé, pregador da justiça, e mais sete pessoas, quando fez vir o dilúvio sobre o mundo de ímpios; e, reduzindo a cinzas as cidades de Sodoma e Gomorra, ordenou-as à ruína completa, tendo-as posto como exemplo a quantos venham a viver impiamente” (2 Pedro 2:4-6)

 

– Nos versos anteriores, o apóstolo deixou claro que os falsos mestres serão destruídos por causa da falsidade de suas vidas. Agora, Pedro nos alerta como Deus trata tais indivíduos que se rebelam contra Sua soberania e majestade. Anjos e homens que impiamente conduziram suas vidas foram e serão destruídos pela ira de Deus.

Noé e sua família foram poupados da destruição por causa de sua fidelidade ao Senhor em meio a uma multidão de incrédulos. Ele sofreu zombaria e escárnio, mas permaneceu firme em seu propósito mostrando-nos que vale a pena perseverar em meio às tribulações e perseguições.

E por fim as cidades de Sodoma e Gomorra sofreram a conseqüência da imoralidade e perversidade em que viviam seus habitantes; as cidades foram reduzidas a cinzas e pó. Percebemos claramente nestes episódios, o que a incredulidade, desmazelo e irreverência para com Deus podem causar aos seus praticantes.

Os falsos mestres sofrerão as mesmas conseqüências daqueles que viveram impiamente, por isso precisamos vigiar e orar, para que não sejamos enganados pela cobiça dos homens que não temem a Deus e cairmos nos mesmos erros. “A mim pertence à vingança; eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo” (Hebreus 10:30).

 

Anúncios

Meditação – 2 Pedro 2:1-3

Falsos mestres

 

2-pedro-21-3“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.” (2 Pedro 2:1-3) 

 

– Há muita gente por aí brincando com fogo: “… o nosso Deus é fogo consumidor” (Hebreus 12:29). Dando ordem a quem não recebe ordens: “Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?!” (Romanos 9:20). Vivendo aquilo que não é: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15).

 

Eles estão por toda parte! Eles, os falsos mestres. Aqueles que se apresentam como cordeiros, mas na verdade, são lobos que ao menor descuido das ovelhas as devoram pelas suas artimanhas e palavras que encantam e fascinam o coração no qual há corrupção. Os desavisados, os cambaleantes e os desatentos são presas fáceis para tais homens com suas doutrinas cheias de atrativos aos olhos cobiçosos. Tais doutrinas entram sorrateiramente sem que os desatentos percebam. Muitos aceitam e seguem estas heresias, pois agradam ao coração dividido e preguiçoso. E por causa de condutas baseadas nestas heresias, o caminho do Senhor é difamado.

 

Com suas palavras vãs e cheias de bajulação os falsos mestres vão cada vez mais engordando os lucros obtidos através das suas organizações religiosas sustentada por seus próprios seguidores. É um verdadeiro comércio da “fé” com tais seguidores sendo a “fonte” de dispendioso lucro.

 

No nosso tempo, pode demorar, mas o julgamento daqueles que deturpam a palavra de Deus e rejeitam Jesus se fará com toda certeza, pois já está escrito (João 12:48). Acautelai-vos destes que pervertem a sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo em favor próprio e em detrimento dos outros.

 

Meditação – 1 Pedro 4:17,18

Juízo pela casa de Deus

 

 

“Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? E, se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador?” (1 Pedro 4:17,18)

 

– Ultimamente tem crescido o descaso de pessoas com a seriedade de se tornarem cristãs. Muitos andam engatinhando na superficialidade da Palavra de Deus com uma vida cristã inerte e cambota (um pé no mundo e outro na igreja [corpo de Cristo]). “Brincam” com o “conhecimento” que tem e parece que quanto mais “aprendem”, mais longe de Deus ficam. Isso é visto claramente nas atitudes e no andar destes “cristãos” ocasionais.

Ao aprendermos algo sobre a Palavra de Deus, precisamos ter em mente: “eu não sabia e por isso pecava; agora eu sei, aprendi e em consequência, preciso fazer o que é certo diante de Deus daqui pra frente”. A partir do momento que a Palavra de Deus é proferida, seu juízo já se faz presente. Jesus disse: “Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia” (João 12:48).

Se para o justo é difícil ser salvo imagine aquele que não observa e obedece a Palavra de Deus? Com certeza não é o que “fazemos” é que irá nos salvar, pois a salvação vem pela graça e misericórdia de Deus por meio de Cristo Jesus, mas precisamos andar como justificados e não como ímpios, quando ainda não conhecíamos a verdade.

Precisamos dar testemunho de uma nova vida; vida transformada pelo poder de Deus. Precisamos mostrar ao ímpio e pecador – assim como nós éramos antes de conhecermos a Cristo – que é possível ter vidas retas, santas e consagradas a Deus. É possível com a ajuda e direção do Senhor ser obediente e andar em conformidade com a Sua Palavra.

O lugar onde comparecerá o ímpio é terrível, mas ao justo, seu lugar é ao lado de Cristo eternamente.

Meditação – Judas 5-7

O juízo do grande dia

“Quero, pois, lembrar-vos, embora já estejais cientes de tudo uma vez por todas, que o Senhor, tendo libertado um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu, depois, os que não creram; e a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia; como Sodoma, e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregado à prostituição como aqueles, seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição.” (Judas 5-7)

 

– Quantas vezes já ouvimos dizer que Deus é amor; é misericordioso; é compassivo e é benigno? E com toda certeza é verdade, mas também precisamos lembrar que o Senhor é justo, não inocenta o culpado, é grande, é temível e é fogo consumidor! Muitos ensinam apenas a primeira parte destes atributos de Deus e esquecem ou não gostam de usar a segunda parte. Porque será?

Dizem que Deus é legal; é bacana; é bonzinho. É preciso acordar para realidade de quem é Deus. O Senhor é mais que paciente, Ele é longânimo, mas o dia do julgamento chegará! Deus é amor, mas Ele não ama a mentira, o engano e a falsidade, Ele abomina. Deus é santo e o pecado não habita em sua presença, consequentemente, Ele não tolera uma vida pecaminosa daquele que professa ser seu filho.

Pela passagem, observamos o que é guardado para aqueles que abusam da paciência de Deus; para aqueles que duvidam do seu poder e glória eterna. Também para aqueles que andam libertinos escondendo suas atitudes vergonhosas e profanas como se tudo ficasse no esquecimento e no mais completo sigilo. Não esqueçamos que Deus é onisciente e onipresente. Só isso é motivo para temer e tremer.

Busquemos adora-lo em santidade de vida, desenvolvendo nossa salvação com temor e tremor (Filipenses 2:12). Ser cristão é mudar de vida; é ser transformado segundo a vontade de Deus; é ser guiado pelo Espírito Santo e não pelos desejos desenfreados da carne. Produzamos, “pois, frutos dignos de arrependimento” (Mateus 3:8).

Meditação – Salmo 119:30

O caminho da fidelidade

“Escolhi o caminho da fidelidade e decidi-me pelos teus juízos.” (Salmo 119:30)

– Para nós sempre haverá o que escolher e o que decidir. Todos os seres humanos, cristãos ou não, tem esse desafio todos os dias. Levantar ou não levantar para trabalhar; tomar banho ou não tomar banho; comer ou não comer; congregar ou não congregar; ser fiel ou não ser fiel; obedecer ou não obedecer.

Em nossas vidas há vários caminhos a escolher, mas só um leva ao Céu: Jesus. Há várias decisões a serem tomadas, mas só uma leva a salvação: obediência aos ensinamentos de Cristo. Escolha o caminho da fidelidade a Deus e decida pela obediência ao Senhor.