Verdade

A armadura de Deus

Postado em Atualizado em

Armadura - 1Questões para reflexão

Deus nos chamou com um propósito: o de batalharmos “diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (Judas 3). Ele nos chamou para uma batalha. É uma luta espiritual contra os poderes celestiais das trevas (Efésios 6:11,12).

Deus sabendo disto, não nos deixou desprovidos de armamento para lutarmos contra essas forças do mal. Ele preparou nossas armas para enfrentarmos este desafio e seguirmos fielmente para vitória final ao lado de nosso Senhor Jesus Cristo. O Conjunto destas poderosas armas se chama “a Armadura de Deus”.

Precisamos revestir-nos dessa armadura se quisermos ser vitoriosos. A nossa luta não é contra os nossos semelhantes, mas contra os poderes celestiais das trevas, que pode pela astúcia de Satanás, nos afastar de Deus e nos destruir (Efésios 6:11,12). Mas se ficarmos ao lado do Senhor e buscarmos a cada dia o senhorio de Cristo em nossas vidas, não há poder que possa nos vencer (Romanos 8:35-39).

Leia o resto deste post »

Anúncios

Meditação – 2 Pedro 2:1-3

Postado em Atualizado em

Falsos mestres

 

2-pedro-21-3“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.” (2 Pedro 2:1-3) 

 

– Há muita gente por aí brincando com fogo: “… o nosso Deus é fogo consumidor” (Hebreus 12:29). Dando ordem a quem não recebe ordens: “Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?!” (Romanos 9:20). Vivendo aquilo que não é: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15).

 

Eles estão por toda parte! Eles, os falsos mestres. Aqueles que se apresentam como cordeiros, mas na verdade, são lobos que ao menor descuido das ovelhas as devoram pelas suas artimanhas e palavras que encantam e fascinam o coração no qual há corrupção. Os desavisados, os cambaleantes e os desatentos são presas fáceis para tais homens com suas doutrinas cheias de atrativos aos olhos cobiçosos. Tais doutrinas entram sorrateiramente sem que os desatentos percebam. Muitos aceitam e seguem estas heresias, pois agradam ao coração dividido e preguiçoso. E por causa de condutas baseadas nestas heresias, o caminho do Senhor é difamado.

 

Com suas palavras vãs e cheias de bajulação os falsos mestres vão cada vez mais engordando os lucros obtidos através das suas organizações religiosas sustentada por seus próprios seguidores. É um verdadeiro comércio da “fé” com tais seguidores sendo a “fonte” de dispendioso lucro.

 

No nosso tempo, pode demorar, mas o julgamento daqueles que deturpam a palavra de Deus e rejeitam Jesus se fará com toda certeza, pois já está escrito (João 12:48). Acautelai-vos destes que pervertem a sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo em favor próprio e em detrimento dos outros.

 

A santidade no amor

Postado em Atualizado em

Introdução

Santidade (do grego hagiosune) é um estado que o seguidor de Cristo deve-se encontrar. É o resultado da santificação, que é o processo de purificação que o cristão passa para atingi-la. A santidade é o estado como o cristão deve estar ou andar, que é a consequência da santificação, ou seja, o processo de separação do cristão das corrupções da carne, não mais em impureza, mas em uma vida separada, ou melhor, consagrada ao Senhor. Deus realiza em nós “tanto o querer como o realizar” (Filipenses 2:13), portanto ele é o executor e nós apenas seus instrumentos. Daí a importância de sermos santos – separados – da imundícia da carne e dos pensamentos, para podermos ser usados poderosamente por Ele. Instrumentos impuros e contaminados não servem para um médico fazer suas intervenções cirúrgicas; muito menos servem para Deus, instrumentos que não sejam consagrados a Ele. Deus não precisa de religiosos que ficam assistindo a tudo como meros espectadores. O Senhor quer pessoas consagradas e comprometidas com Ele. Deus quer discípulos que trabalhem em Sua obra.

 

Um amor consagrado

1 Pedro 1:22 “Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente” – Depois da purificação, ou seja, de estarmos em santidade onde consagramos nossas vidas ao Senhor pela obediência a sua vontade, o apóstolo Pedro nos exorta a amarmos uns aos outros fraternalmente – do grego philadelphia – que quer dizer o amor entre irmãos. Mas o apóstolo vai mais além de simplesmente dizer que precisamos amar uns aos outros. Ele diz que não podemos fingir que amamos, mas que amemos verdadeiramente. Se nossa alma estiver purificada, amaremos como Deus ama ao nosso irmão, pois não haverá resquícios de pensamentos negativos ou impuros em nossos corações. Olharemos para o irmão em Cristo e não o julgaremos por causa de suas atitudes, mas faremos o bem a ele independentemente de sua reação para conosco. Este ato não deve ser mecânico, formal ou cheio de preconceitos, mas ardente, arrebatador, pois o amor de Deus deve estar transbordando em nossos corações, nos impulsionando a amar aqueles que estão ao nosso redor.

 

1:23 – “pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente.” – Quando somos batizados morre naquele ato, o “homem” interior carregado de transgressões, para renascer um novo “homem” segundo o caráter de Deus, purificado e alvo como a neve. É plantado em nós uma semente pura que deve germinar e produzir bons frutos para o Senhor. Esta semente deve ser cuidada e regada pelo amor e pela verdade de Deus, não deixando que ela seja contaminada por aquelas transgressões que foram eliminadas de nosso coração. Pedro diz que fomos regenerados por esta semente, a semente incorruptível. Como pode então esta semente produzir frutos maus, ou seja, frutos corruptíveis? Jesus já tinha nos alertado quanto a isso: “Pelos seus frutos os conhecereis. Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons.” (Mateus 7:16-18). Como cristãos precisamos produzir frutos bons para Deus para assim sermos reconhecidos como verdadeiros seguidores de Cristo. “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (João 13:35).

1:24 – “Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor”  – Nosso corpo (tabernáculo terrestre conforme 2 Pedro 1:13,14) veio do pó e voltará pra ele. Nascemos, crescemos e chegamos ao esplendor em determinada parte de nossas vidas, mas um dia começaremos a “murchar” como uma flor que atinge a sua exuberância em um ponto de sua existência e depois deteriora e morre. Pedro quer nos dizer que a semente que em nós foi plantada conforme o verso anterior, não germinará uma flor, ou melhor, um fruto corruptível, que seca ou que murcha com o tempo e perece. Se nossos frutos são corruptíveis, são gerados ainda pela nossa velha natureza, que deveria estar sepultada nas águas do batismo. Nosso amor assim, será fingido em relação ao nosso irmão, ou seja, será um amor interesseiro, superficial e egoísta, esperando sempre algo em troca. Como a flor que murcha e cai, este tipo de amor logo perecerá.

 

1:25 – “a palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada.” – O apóstolo termina dizendo que a semente que em nós foi plantada é a palavra de Deus. A palavra de Deus é eterna, pois é o Seu Verbo, e o Verbo de Deus é Jesus, conforme João 1:1-3. Jesus é quem nos foi evangelizado. É a Ele que recebemos em nosso coração. Ele habita em nossos corações e faz dele a Sua morada, para gerar bons frutos que não perecem e nem murcham como as flores do campo. A Sua beleza não é vista somente em um momento, mas em todos os momentos, todas as atitudes e todo o nosso ser. Se Cristo habita verdadeiramente em nossos corações, deles fluirão rios de água viva (João 7:38). A beleza das flores acaba com o tempo; a beleza do amor cristão aumenta com o tempo.

 

Conclusão

Concluímos que devemos amar intensamente nossos irmãos em Cristo, não importando se obteremos resposta a esse amor. Deus amou incondicionalmente a todos nós (agape – João 3:16). Jesus quando esteve entre os homens amou-os até o fim, ou seja, enquanto esteve na terra, Ele foi a expressão exata do amor. Lembremos: Jesus habita em seus discípulos. O amor está habitando em cada um dos cristãos, para amarem verdadeiramente uns aos outros. Quem ama obedece: “Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos.  Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos” (1 João 5:2,3). Quem ama deixa de lado as obras infrutíferas das trevas, para dar lugar aos frutos da luz: “Quem ama é paciente e bondoso. Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso. Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, nem guarda mágoas. Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo. Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência. O amor é eterno” (1 Coríntios 13:4-8 BLH).

 

Paralelo do amor

Postado em Atualizado em

Paralelo do amorCântico utilizado: “O amor é sempre vencedor”

“O amor tem atos lindos, sim! Mas, nem sempre
os atos tem amor”

– se eu amo, eu obedeço!
– se eu amo, eu confio!
– se eu amo, eu respeito!
– se eu amo, eu pratico!
– se eu amo, eu honro!
– se eu amo, eu cuido!
– se eu amo, eu coopero!

“Amar é aceitar o teu próximo como a ti mesmo…”
– se eu amo, eu não faço acepção!
– se eu amo, eu não julgo!
– se eu amo, eu não condeno!
– se eu amo, eu não trato mal!
– se eu amo, eu não quero mal!
– se eu amo, eu não zombo!

“… assim como Eu vos tenho amado.”
– Jesus morreu por nós!
– Jesus cuida de nós!
– Jesus nos sustenta!
– Jesus nos guarda!
– Jesus nos guia!
– Jesus nos ensina!
– Jesus nos conforta!

“Deveis vós amar-vos também.”
– se eu amo, eu dou a minha vida!
– se eu amo, eu cuido!
– se eu amo, eu sustento!
– se eu amo, eu guardo!
– se eu amo, eu guio!
– se eu amo, eu ensino!
– se eu amo, eu conforto!

“Se tiverdes todo esse amor, e os conflitos deixareis atrás.”
– se eu tiver esse amor, eu não cobrarei mais!
– se eu tiver esse amor, eu não guardarei mágoas!
– se eu tiver esse amor, eu não voltarei para as coisas passadas!
– se eu tiver esse amor, eu não serei implacável!
– se eu tiver esse amor, eu não serei maldoso!
– se eu tiver esse amor, eu não serei injusto!
– se eu tiver esse o amor, eu perdoarei!

“Lembre-se terás todo esse Céu e com Deus irás viver.”
– Sem lágrimas!
– Sem dor!
– Sem amargura!
– Sem mágoas!
– Sem ressentimentos!
– Sem rancor!
– Sem ódio!

“O amor é sempre vencedor; ele é puro, ele é sofredor.”
– Que eu vença pelo o amor!
– Que eu vença pela pureza!
– Que eu vença por ser fiel!
– Que eu vença por ser fidedigno!
– Que eu vença por ser tolerante!
– Que eu vença por ser verdadeiro!
– Que eu vença por ser sincero!

“Muito mais que tudo que há no mundo e jamais se acabará.”
(1 Coríntios 13:4-7)
– O amor é paciente e bondoso!
– O amor não é invejoso e nem orgulhoso!
– O amor não é arrogante e nem grosseiro!
– O amor não é exigente!
– O amor não é irritadiço!
– O amor não fica satisfeito com a injustiça!
– O amor alegra-se com a verdade!
– O amor nunca desiste e perde a fé!
– O amor tem sempre esperança e persevera!

Se eu amo, eu obedeço o que Jesus me mandou fazer:
“Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros.” (João 13:34)

Se eu amo, faço brilhar a luz que retira as trevas da minha vida:
“Todavia, vos escrevo novo mandamento, aquilo que é verdadeiro nele e em vós, porque as trevas se vão dissipando, e a verdadeira luz já brilha.” (1 João 2:8)

Se eu amo, é porque eu sou amado:
“Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Nós amamos porque ele nos amou primeiro.” (1 João 4:10,19)

Meditação – Efésios 4:25

Postado em Atualizado em

Fale a verdade

 

“Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros.” (Efésios 4:25)

– Mentira, quem é o seu pai? Jesus disse que é o diabo, “Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (João 8:44).

Quem fala e vive da mentira tem o seu pai: é o diabo conforme palavras de Jesus acima. O apóstolo Paulo disse pra deixarmos a mentira, falando cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros no Corpo de Cristo.

Este versículo nos instrui a sermos sinceros em toda e qualquer circunstância. Precisamos ser francos, sempre com respeito, suavidade e amor. 

Fazemos parte do mesmo corpo e somos membros ativos deste corpo. Para que todo o corpo esteja bem é preciso que haja sinceridade entre seus membros. Quando houver uma discordância ou algum problema, devemos ser francos e sinceros quanto à questão. Além de sermos sinceros, precisamos ser amáveis e bondosos; estas duas virtudes são frutos do Espírito Santo.

Que a mentira seja e continue banida de nosso meio para que a verdade possa reinar em nossos corações e relacionamentos.

Revisado em Julho – 2012