Meditação – Romanos 13:5

Dever de consciência

romanos-135“É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência.” (Romanos 13:5)

 

– Isto ajusta perfeitamente com a descrição do batismo bíblico dada pelo apóstolo Pedro: “… o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus (1 Pedro 3:21).

No verso anterior confirmamos que a autoridade é “ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal”; mas não temos que nos sujeitar as autoridades que foram instituídas por Deus por medo de sermos surpreendidos em alguma transgressão e assim recebermos punição. O cristão não precisa temer, pois anda retamente; quem precisa temer é quem anda desordenadamente.

Os cristãos – aqueles que conscientizaram de seus pecados e em conseqüência se entregaram a Jesus em obediência ao batismo – se submetem as leis estabelecidas pelas autoridades, não por medo de serem surpreendidos em alguma falta e assim serem punidos pelo erro, mas se submetem “por dever de consciência” para com Deus. A nova consciência adquirida no batismo, no “lavar regenerador e renovador do Espírito Santo” (Tito 3:5).

A consciência do cristão é uma consciência regenerada; uma nova consciência perante Deus. É a certeza e a convicção na onipresença de Deus que o move a buscar sempre fazer a vontade de seu Criador que a tudo vê (Hebreus 4:13).

O cristão tem um compromisso com Deus assumido no dia do seu batismo, quando se entregou a Jesus Cristo como seu único e Senhor e Salvador: Andar segundo os desígnios de Deus em todas as áreas de sua vida e assim o bendizer, glorificar e exaltar o Seu santo e glorioso nome.

 

 

Anúncios

Meditação – Tito 1:15

Todas as coisas são puras

 

reflexao-28“Todas as coisas são puras para os puros; todavia, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas.” (Tito 1:15)

 

– Em Mateus 5:8 diz que “bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus”. Hebreus 12:14 nos alerta a seguir “a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. O apóstolo Paulo primeiro ensinou a Timóteo mostrando que o “amor que procede de coração puro, e de consciência boa, e de fé sem hipocrisia” (1 Timóteo 1:5) é que agrada ao Senhor. Depois o incentivou a fugir “das paixões da mocidade” e a seguir “a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor” (2 Timóteo 2:22). O porquê de tudo isso? A resposta está em Levítico 20:7:  “Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o Senhor, vosso Deus”.

No mundo podemos comprovar como a impureza “reina” entre os descrentes. É algo “normal” e cada vez mais devastador. A televisão é o carro-chefe com suas tramas cheias de adultério, fornicação, imoralidade, idolatria, dentre outras perversidades. “O que é certo passa a ser errado, e o que é errado passa a ser certo”.

A moral que Deus colocou em cada ser humano ao ser criado, não faz nenhuma diferença para os impuros; a corrupção é total. A mente de um descrente está corrompida pelo pecado e tudo que ele vê, fala e pensa é impuro.

Nós precisamos lutar com todas as forças que o Senhor nos dá por meio do Espírito Santo contra a corrupção da pureza e santidade na qual todos cristãos, indistintamente devem andar. Se desejamos ver a Deus, precisamos limpar nossos corações das imundícias do mundo corrompido pelo pecado nos mantendo puros para honra e glória dEle.

 

Meditação – 1 Pedro 3:20,21

Nos dias de Noé

 

“…nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água, a qual, figurando o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo.” (1 Pedro 3:20,21)

 

– Nos dias de Noé, Deus não poupou aqueles que não o temiam. Apenas 8 pessoas em meio a uma multidão foram salvas. OITO! Hoje, vivemos em um mundo de incredulidade, irreverência e idolatria. Muitos têm abandonado a comunhão com Cristo por motivos banais e egoístas.

 

Aqueles dias de Noé figuraram o que haveria de acontecer no futuro, e hoje vivemos esse futuro. Como Deus não poupou os insubmissos, os incrédulos e idólatras daquele tempo; Ele também não poupará aqueles que não o temem nos dias atuais. Sua misericórdia se renova cada manhã para que possamos temê-lo, amá-lo e obedecê-lo em todas as coisas e não para vivermos como se não houvesse um juízo (Lamentações 3:22,23).

 

Ao sermos batizados não é removida a sujeira do corpo, mas sim a da alma. Estávamos imundos pelo pecado e Cristo nos limpou. Ele nos deu um novo compromisso: a de uma nova consciência perante Ele.

Que a nossa consciência perante Deus seja purificada pelo “lavar regenerador e renovador do Espírito Santo” (Tito 3:5), e não corrompida pelas obras da carne (Gálatas 5:19-21).