Julgar pela aparência

aparência

Porque fazemos isso, e quais as implicações?

Introdução:

“Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça.” (João 7:24)

Neste verso, e também no contexto, aparência não deve se limitar a questão física, mas num preconceito arrogante que os lideres tinham em relação a Jesus, sem o qual ficassem livres, jamais poderiam ter o discernimento correto do Messias (João 7:17).

O capítulo 7 começa com Jesus sendo julgado um lunático por seus irmãos e tentando força-los dentro dos seus conceitos de um Messias superstar. Quando ele chegou, em oculto, ouviu que o povo se dividia entre achar que ele era bom ou enganador, baseados em ambas as opiniões.

Continue lendo

Anúncios

Características da igreja

Jesus no meio dos candeeiros de ouroEm sete pontos – um número perfeito em Apocalipse – as características básicas da igreja do Senhor Jesus Cristo (candeeiro de ouro conforme Apocalipse 1:12,13,20).

Obviamente, existem outras características que definem a igreja a qual Jesus é o Cabeça, Senhor e Salvador, mas limitamos nestas sete para enfatizar as questões que mais fogem do modelo original descrito no Novo Testamento nos dias atuais.

1) A igreja é um organismo, não uma organização: “Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo.” (1 Coríntios 12:27)

– A igreja é um organismo vivo (corpo formado por pessoas redimidas), e não uma organização humana, ou seja, uma empresa, entidade, corporação, instituição, etc. A igreja é o corpo de Cristo.

Continue lendo

Eleição e predestinação

“Reconhecendo, irmãos, amados de Deus, a vossa eleição,” (1 Tessalonicenses 1:4); “assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade” (Efésios 1:4,5)

– Eleição

A escolha por Deus daqueles que crêem em Cristo é uma doutrina importante (Romanos 8:29-33; 9:6-26; 11:5,7,28; Colossenses 3:12; 2 Tessalonicenses 2:13; Tito 1:1). A “eleição” (gr. eklegoe) refere-se à escolha feita por Deus, em Cristo, de um povo para si mesmo, a fim de que sejam santos e inculpáveis diante dele (2 Tessalonicenses 2:13). Essa eleição é uma expressão do amor de Deus, que recebe como seus todos os que recebem seu Filho Jesus (João 1:12). A doutrina da eleição se apóia das seguintes verdades:

Continue lendo

Os atalaias no seu tempo

“A ti, ó filho do homem, te constitui por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca, e lhes darás aviso da minha parte.” (Ezequiel 33:7)

O Atalaia era à pessoa que ficava de sentinela numa torre do castelo ou no local mais alto e estratégico das muralhas que cercavam a cidade, para avisar o seu povo a qualquer momento sobre a presença do inimigo. Deus comparou a missão do atalaia com a que os seus profetas exerciam no meio do povo, avisando-os das ameaças que poderiam levá-los à destruição espiritual.

Atalaias do Antigo Testamento:

No Antigo testamento Deus diz que os profetas Jeremias e Ezequiel foram constituídos atalaias entre o povo para anunciar a sua mensagem. E que os judeus seriam levados cativos para a Babilônia como consequência dos seus pecados de idolatria. Entretanto, outros servos do Senhor Deus cumpriram com esse propósito (Parecido como a do atalaia):

Continue lendo

O homem cristão no lar – III

Servindo como pai
O homem a serviço do rei Jesus

“E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.” (Efésios 6:4)

Além de servir como cabeça e marido, Deus quer que homens sirvam seus lares como pais. O exemplo já vimos nas lições anteriores; Jesus, sendo Senhor serviu aos seus discípulos, e com isso lhes deu exemplo (conf. João 13:13-15). O Senhor quer contar com homens que estejam dispostos a serem verdadeiramente pais para os seus filhos. No modelo de Jesus, os pais devem criá-los nos desígnios do Criador. Ele não deve provocá-los a ira e deve criá-los na disciplina e admoestação do Senhor. Este é o ministério dado por Deus aos pais; este é na verdade, outro privilégio concedido a nós pelo Senhor.

Você é um pai? Todos que somos pais poderíamos facilmente responder esta pergunta. Mas poderíamos afirmar que somos pais segundo os desígnios de Deus? Ter filhos não é a garantia de ser pai conforme o modelo bíblico, ou seja, o modelo apresentado e exigido pelo Criador da família, que é Deus. O simples fato de termos crianças em nossos lares gerados por nós, não nos faz pais segundo a vontade de Deus.

Continue lendo