Mandamento

Mandamentos não penosos

Postado em Atualizado em

Mandamentos não penososJoão disse que os mandamentos de Deus [para cristãos, a sã doutrina do Senhor Jesus Cristo] não são coisas ruins de serem praticadas, e nem coisas que nos trarão angustia ou tristeza; muito pelo contrário na observância e pratica de sua vontade, encontraremos paz, regozijo, a aprovação de Deus e o amadurecimento na fé.

O apóstolo escreveu:

“Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos.” (1 João 5:3)

Leia o resto deste post »

Anúncios

Guardando os mandamentos

Postado em Atualizado em

Guardando os mandamentosQual a forma de mostrarmos o amor aos nossos irmãos em Cristo? João respondeu que é quando “amamos a Deus e guardamos seus mandamentos” (1 João 5:2). “Mandamentos” aqui é os ensinamentos de Jesus em sua nova aliança – a sã doutrina dada a sua igreja.

A Lei de Moisés e os profetas se resumiam em dois grandes mandamentos: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:37,39).

Leia o resto deste post »

Meditação – João 13:34,35

Postado em Atualizado em

Jesus-13

“Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros”. (João 13:34,35)

 

“Novo mandamento vos dou”. Um mandamento recém chegado, mas que se baseia no 2º grande mandamento da antiga lei, “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:39). É uma ordem inquestionável de Jesus para que o homem se aproxime mais do caráter santo e perfeito de Deus.

Jesus viveu intensamente este amor e mostrou na prática como devemos andar também, ou seja, amando uns aos outros como Ele nos amou. “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos”.

Jesus esteve no meio de nós – os pecadores – para dar-nos esperança. Ele andou em nosso meio para nos resgatar do poder do pecado. Em sua passagem aqui na terra, o Senhor amou intensamente aos homens, curando-os de suas enfermidades físicas, emocionais e principalmente espirituais. Jesus não só os curava, mas ordenava a não pecarem mais, pois a maior enfermidade dos homens não estava naquele corpo curado, mas em suas mentes; em seus corações.

O pecado é a maior enfermidade do ser humano e é exatamente por isso que Jesus desceu dos céus, pois as nossas “iniqüidades fazem separação” entre nós e o nosso Deus (Isaías 59:2). Ele desceu para nos curar dessa grande enfermidade que afeta a todos os seres humanos, “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). No entanto, todos aqueles que foram curados – fisicamente falando – foram tragados pela morte um dia. Mas se eles compreenderam e guardaram o que lhes foi dito pelo Senhor – para não pecarem mais -, com certeza eles não foram vencidos pela morte, mas aguardam a preciosa e bem-vinda volta de Cristo, onde serão ressuscitados para a eternidade e estarão para sempre na presença de Deus no reino dos céus. Esta também é a nossa esperança.

Portanto amemos uns aos outros como Jesus nos amou, pois “se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê” (1 João 4:20).

Paralelo da Lei

Postado em Atualizado em

A lei do SenhorCântico utilizado: “A lei do Senhor” (Salmo 19:7-10)

“A Lei do Senhor é perfeita, e restaura a alma.”
– A lei do Senhor transforma o meu caráter.
– Altera o meu viver.
– Me dá uma vida plena e abundante.
– Me prepara para o encontro triunfal com Jesus.
– Ela me trás a esperança da vida eterna.

“O testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices.”
– O testemunho do Senhor me ensina a viver de modo digno.
– Me ensina a fazer o que é correto e louvável diante de Deus.
– Ele me mostra o caminho em que devo andar.
– Me encoraja a ser e a continuar fiel.
– Me torna sábio em minhas atitudes.

“São mais desejáveis do que ouro depurado.”
– São mais desejáveis do que qualquer tesouro.
– Do que qualquer prêmio…
– Qualquer título.
– Qualquer conquista.
– Qualquer presente.

“São mais doces do que o mel e o destilar dos favos.”
– Doce aos meus olhos.
– Agradável ao meu coração…
– Ao meu viver.
– Ao meu andar.
– Ao meu ser.

“Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o coração.”
– Os preceitos do Senhor são justos e bons.
– Ele me faz feliz.
– Eu fico cheio de júbilo.
– Me faz contentar.
– Regozija o meu ser.

“O mandamento do Senhor é puro e ilumina os olhos.”
– O mandamento do Senhor me guia nos difíceis caminhos da vida.
– Me livra da escuridão do pecado.
– Ele abre os meus olhos para ver o que é reto, justo e bom.
– Santifica o meu ser.
– Me torna puro, separado e consagrado para servir a Deus.

“O temor do Senhor é límpido, e permanece para sempre.”
– O temor do Senhor é puro.
– Ele é santo…
– Não tem mancha.
– É transparente.
– É eterno.

“Os juízos do Senhor são verdadeiros e todos igualmente justos.”
– Nos juízos do Senhor há Justiça.
– Há verdade…
– Igualdade.
– Perdão.
– Amor.

Se há lei, é porque Deus me amou e enviou Seu Filho para cumpri-la em meu lugar, pois ninguém seria capaz senão Ele.
“Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir” (Mateus 5:17).

Se há lei, é porque Deus existe, e nela, Ele revelou sua vontade.
“As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Deuteronômio 29:29).

Se há lei, é porque haverá justiça.
“Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado. Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus” (Romanos 3:19-26).

Meditação – Salmo 93:5

Postado em Atualizado em

Ornamento perpétuo

 

Os teus mandamentos permanecem firmes e fiéis;

a santidade, Senhor, é o ornamento perpétuo da tua casa.” (Salmo 93:5)

 

– Deus é imutável. Nós, pelo contrário somos mutáveis. O Senhor é o mesmo ontem, hoje e amanhã; porém, ontem estávamos de um jeito, hoje, talvez, já estamos diferentes, e amanhã, não sabemos como estaremos. A vontade de Deus continua a mesma (Êxodo 20:1-17; Mateus 22:37-40).

Os mandamentos do Senhor se resumem nestes dois grandes mandamentos da antiga lei: Amarás o teu Deus e ao teu próximo; e eles não mudarão porque não conseguimos praticá-los ou porque não aceitamos.

Gostamos de ornamentar nossas casas, com móveis, utensílios e acabamentos bonitos; mas eles não duram muito; com o tempo o desgaste é notório e temos que mudar. Nada dura pra sempre neste mundo. Deus, porém, já tem sua morada ornamentada eternamente com a santidade. A sua habitação é santa, porque Ele é santo. Santidade é o estado de Deus; Ele é santo e sempre será. NEle e na sua presença não habita qualquer sombra de pecado.

Se desejamos agradar a Deus precisamos guardar e praticar seus mandamentos (ensinamentos de Cristo) e não acharmos que Ele nos aceitará sem que haja transformação, mudança e conversão genuína. Também precisamos buscar a santidade a qualquer custo, pois este é o estado que seus filhos devem se encontrar. Conseguiremos a santidade, através da santificação, que é o processo para alcançar a santidade, ou seja, a medida que crescemos e amadurecemos na fé, vamos refugando aquilo que não agrada e não entra na presença de Deus.

O que você precisa refugar em sua vida? Comece a fazê-lo hoje!