Espírito Santo

A multidão de convertidos

Postado em Atualizado em

Atos dos apóstolos / Espírito Santo

Nesta mensagem reunimos diversas passagens do livro de Atos destacando a incrível trajetória dos apóstolos e primeiros discípulos de Jesus Cristo na propagação do evangelho – a boa notícia da salvação – aos judeus e gentios no primeiro século, e início de Sua igreja. Em cada passagem confirmamos o crescimento multiplicativo de convertidos a Cristo; e em alguns destes episódios, notamos fatos importantes que aconteceram [marcados na cor azul]. Também confirmamos a profecia de Jesus feita no verso oito do primeiro capítulo, sendo cumprida ao longo do trabalho árduo dos irmãos, empenhados a obedecerem a voz do Senhor Jesus. Que os atos destes servos de Cristo, supervisionados pelo Espírito Santo, nos incentive e encoraje a realizar a obra pelo qual fomos chamados:

Irbuscar e salvar o perdido” (Lucas 19:10)

Introdução:

1:6-8 – Testemunhas [Recebereis poder]

6  Então, os que estavam reunidos lhe perguntaram: Senhor, será este o tempo em que restaures o reino a Israel? 7  Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade; 8  [mas recebereis poder], ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.

Conversões sem fim:

2:37-41 – As primeiras conversões [Recebereis o dom]

37  Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? 38  Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e [recebereis o dom do Espírito Santo]. 39  Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. 40  Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. 41  Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.

4:1-4 – O número aumenta

1  Falavam eles ainda ao povo quando sobrevieram os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus, 2  ressentidos por ensinarem eles o povo e anunciarem, em Jesus, a ressurreição dentre os mortos; 3  e os prenderam, recolhendo-os ao cárcere até ao dia seguinte, pois já era tarde. 4  Muitos, porém, dos que ouviram a palavra a aceitaram, subindo o número de homens a quase cinco mil.

> v. 13: comunhão com Jesus

Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus.

5:12-16 14 – A multidão cresce [Prodígio e sinais: apóstolos]

12  [Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos]. E costumavam todos reunir-se, de comum acordo, no Pórtico de Salomão. 13  Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração. 14  E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor, 15  a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas, para que, ao passar Pedro, ao menos a sua sombra se projetasse nalguns deles. 16  Afluía também muita gente das cidades vizinhas a Jerusalém, levando doentes e atormentados de espíritos imundos, e todos eram curados.

> v. 17-21: Prisão, soltura e pregação

17  Levantando-se, porém, o sumo sacerdote e todos os que estavam com ele, isto é, a seita dos saduceus, tomaram-se de inveja, 18  prenderam os apóstolos e os recolheram à prisão pública. 19  Mas, de noite, um anjo do Senhor abriu as portas do cárcere e, conduzindo-os para fora, lhes disse: 20  Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida. 21  Tendo ouvido isto, logo ao romper do dia, entraram no templo e ensinavam. Chegando, porém, o sumo sacerdote e os que com ele estavam, convocaram o Sinédrio e todo o senado dos filhos de Israel e mandaram buscá-los no cárcere.

6:17 – Multiplicação [Escolha dos obreiros]

1  Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária. 2  Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas. 3  [Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; 4  e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra. 5  O parecer agradou a toda a comunidade; e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. 6  Apresentaram-nos perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos]. 7  Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé.

8:4-8 [6] – A palavra chega a Samaria

4  Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra. 5  Filipe, descendo à cidade de Samaria, anunciava-lhes a Cristo. 6  [As multidões atendiam, unânimes, às coisas que Filipe dizia, ouvindo-as e vendo os sinais que ele operava]. 7  Pois os espíritos imundos de muitos possessos saíam gritando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados. 8  E houve grande alegria naquela cidade.

> v. 9-13: A conversão do mágico

9  Ora, havia certo homem, chamado Simão, que ali praticava a mágica, iludindo o povo de Samaria, insinuando ser ele grande vulto; 10  ao qual todos davam ouvidos, do menor ao maior, dizendo: Este homem é o poder de Deus, chamado o Grande Poder. 11  Aderiam a ele porque havia muito os iludira com mágicas. 12  Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, assim homens como mulheres. 13  [O próprio Simão abraçou a fé; e, tendo sido batizado, acompanhava a Filipe de perto, observando extasiado os sinais e grandes milagres praticados].

9:1-19 [5,6,15,20] – A conversão de Saulo

5  Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues; 6  mas levanta-te e entra na cidade, onde te dirão o que te convém fazer. 15  Mas o Senhor lhe disse: Vai, porque este é para mim um instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e reis, bem como perante os filhos de Israel; 20  E logo pregava, nas sinagogas, a Jesus, afirmando que este é o Filho de Deus.

> v. 31,42: O número cresce

31  A igreja, na verdade, tinha paz por toda a Judéia, Galiléia e Samaria, edificando-se e caminhando no temor do Senhor, e, no conforto do Espírito Santo, crescia em número. 42  Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor.

10:44-48 – A conversão dos gentios

44  Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. 45  E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo; 46  pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus. Então, perguntou Pedro: 47  Porventura, pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? 48  E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então, lhe pediram que permanecesse com eles por alguns dias.

11:19-21 – Conversões em Antioquia

19  Então, os que foram dispersos por causa da tribulação que sobreveio a Estêvão se espalharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus. 20  Alguns deles, porém, que eram de Chipre e de Cirene e que foram até Antioquia, falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus. 21  A mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor.

> v. 26c: os discípulos de Jesus pela primeira vez chamados cristãos

25  E partiu Barnabé para Tarso à procura de Saulo; 26  tendo-o encontrado, levou-o para Antioquia. E, por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos.

12:24 – A palavra cresce e multiplica

Entretanto, a palavra do Senhor crescia e se multiplicava. 

13 – A primeira viagem missionária de Paulo: v. 1-14:28

> v. 44-52 [46-49]: Gentios aceitam/Judeus rejeitaram

44  No sábado seguinte, afluiu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus. 45  Mas os judeus, vendo as multidões, tomaram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava. 46  Então, Paulo e Barnabé, falando ousadamente, disseram: Cumpria que a vós outros, em primeiro lugar, fosse pregada a palavra de Deus; mas, posto que a rejeitais e a vós mesmos vos julgais indignos da vida eterna, eis aí que nos volvemos para os gentios. 47  Porque o Senhor assim no-lo determinou: Eu te constituí para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até aos confins da terra. 48  Os gentios, ouvindo isto, regozijavam-se e glorificavam a palavra do Senhor, e creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna. 49  E divulgava-se a palavra do Senhor por toda aquela região. 50  Mas os judeus instigaram as mulheres piedosas de alta posição e os principais da cidade e levantaram perseguição contra Paulo e Barnabé, expulsando-os do seu território. 51  E estes, sacudindo contra aqueles o pó dos pés, partiram para Icônio. 52  Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo.

14 – Conversões em Icônio, Listra e Derbe

> v. 1,20-22: Tribulações para entrar no reino

1 Em Icônio, Paulo e Barnabé entraram juntos na sinagoga judaica e falaram de tal modo, que veio a crer grande multidão, tanto de judeus como de gregos. 20  Rodeando-o, porém, os discípulos, levantou-se e entrou na cidade. No dia seguinte, partiu, com Barnabé, para Derbe. 21  E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio, e Antioquia, 22  [fortalecendo a alma dos discípulos, exortando-os a permanecer firmes na fé; e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus].

15 – A segunda viagem missionária de Paulo: v. 36-18:23

16:1-5 – Igrejas fortalecidas aumentam em número

1  Chegou também a Derbe e a Listra. Havia ali um discípulo chamado Timóteo, filho de uma judia crente, mas de pai grego; 2  dele davam bom testemunho os irmãos em Listra e Icônio. 3  Quis Paulo que ele fosse em sua companhia e, por isso, circuncidou-o por causa dos judeus daqueles lugares; pois todos sabiam que seu pai era grego. 4  Ao passar pelas cidades, entregavam aos irmãos, para que as observassem, as decisões tomadas pelos apóstolos e presbíteros de Jerusalém. 5  Assim, as igrejas eram fortalecidas na fé e, dia a dia, aumentavam em número. 

> v. 6,7: Impedimento do SENHOR para pregar em determinados locais

6  E, percorrendo a região frígio-gálata, tendo sido impedidos pelo Espírito Santo de pregar a palavra na Ásia, 7  defrontando Mísia, tentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu.

17:1-4 – Conversões em Tessalônica

1  Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde havia uma sinagoga de judeus. 2  Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras, 3  expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio. 4  Alguns deles foram persuadidos e unidos a Paulo e Silas, bem como numerosa multidão de gregos piedosos e muitas distintas mulheres.

> v. 10-12 [11]: Beréia = cristãos nobres / conversões

10  E logo, durante a noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Beréia; ali chegados, dirigiram-se à sinagoga dos judeus. 11  Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim. 12  [Com isso, muitos deles creram, mulheres gregas de alta posição e não poucos homens].

> v. 15,16: Paulo em Atenas

Houve, porém, alguns homens que se agregaram a ele e creram; entre eles estava Dionísio, o areopagita, uma mulher chamada Dâmaris e, com eles, outros mais.

18:5-8 – Conversões em Corinto

5  Quando Silas e Timóteo desceram da Macedônia, Paulo se entregou totalmente à palavra, testemunhando aos judeus que o Cristo é Jesus. 6  Opondo-se eles e blasfemando, sacudiu Paulo as vestes e disse-lhes: Sobre a vossa cabeça, o vosso sangue! Eu dele estou limpo e, desde agora, vou para os gentios. 7  Saindo dali, entrou na casa de um homem chamado Tício Justo, que era temente a Deus; a casa era contígua à sinagoga. 8  Mas Crispo, o principal da sinagoga, creu no Senhor, com toda a sua casa; também muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados.

> v. 9,10: Não temas em pregar abertamente a palavra de Deus

9  Teve Paulo durante a noite uma visão em que o Senhor lhe disse: Não temas; pelo contrário, fala e não te cales; 10  porquanto eu estou contigo, e ninguém ousará fazer-te mal, pois tenho muito povo nesta cidade.

> v. 24-21:16: A terceira viagem missionária de Paulo

19:18-20 – Muitos se convertem, inclusive mágicos

18  Muitos dos que creram vieram confessando e denunciando publicamente as suas próprias obras. 19  Também muitos dos que haviam praticado artes mágicas, reunindo os seus livros, os queimaram diante de todos. Calculados os seus preços, achou-se que montavam a cinqüenta mil denários. 20  Assim, a palavra do Senhor crescia e prevalecia poderosamente.

21:17-20 – Dezenas de milhares

17  Tendo nós chegado a Jerusalém, os irmãos nos receberam com alegria. 18  No dia seguinte, Paulo foi conosco encontrar-se com Tiago, e todos os presbíteros se reuniram. 19  E, tendo-os saudado, contou minuciosamente o que Deus fizera entre os gentios por seu ministério. 20  Ouvindo-o, deram eles glória a Deus e lhe disseram: Bem vês, irmão, quantas dezenas de milhares há entre os judeus que creram, e todos são zelosos da lei

21:27-40 – A prisão de Paulo

27:1-28:16 – Paulo enviado para a Roma

Conclusão:

28:30,31 – Paulo: Pregação livre em Roma antes de sua morte

30 Por dois anos, permaneceu Paulo na sua própria casa, que alugara, onde recebia todos que o procuravam, 31  pregando o reino de Deus, e, com toda a intrepidez, sem impedimento algum, ensinava as coisas referentes ao Senhor Jesus Cristo.

Enfim, aos cristãos é dada a incumbência de continuar escrevendo o livro através de seus atos sob a supervisão e direção do Espírito Santo até a volta do Senhor Jesus.

Anúncios

Os sete de Deus

Postado em Atualizado em

Unidade – A unidade nos sete de Deus

Texto base – Efésios 4:4-6

“há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.”


Introdução – Efésios 4:1-3

“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”


Leia o resto deste post »

O evangelho: derrubando sofismas

Postado em Atualizado em

Atos 85 Filipe, descendo à cidade de Samaria, anunciava-lhes a Cristo. 6 As multidões atendiam, unânimes, às coisas que Filipe dizia, ouvindo-as e vendo os sinais que ele operava. 7 Pois os espíritos imundos de muitos possessos saíam gritando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados. 8 E houve grande alegria naquela cidade.” (Atos 8:5-8)

– Logo após a morte de Estevão houve grande perseguição a igreja em Jerusalém dispersando os discípulos para as regiões da Judéia e Samaria, exceto os apóstolos. Saulo continuava seu serviço assolando a igreja, levando ao cárcere os discípulos de Cristo. A perseguição ao invés de desmotivar a igreja, motivava ainda mais a pregação da palavra de Deus (cf. Atos 8:1-4). Leia o resto deste post »

Filhos da Luz

Postado em Atualizado em

A nossa parte: (Perguntas para reflexão)

1 – É possível andar na luz em meio ao emaranhado de trevas?
2 – Como devemos agir em relação às obras do pecado?
3 – A nossa posição em relação ao pecado e a Deus deve ser qual?
4 – Como devemos agir para não cair nas armadilhas do pecado?
5 – Qual deve ser a nossa atitude em relação ao Espírito Santo?

O que diz a palavra: Efésios 5:8-21

8  Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz 9  (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade), 10  provando sempre o que é agradável ao Senhor. 11  E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. 12  Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. 13  Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz. 14  Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. 15  Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, 16  remindo o tempo, porque os dias são maus. 17  Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. 18  E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, 19  falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, 20  dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, 21  sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.”

Leia o resto deste post »

Esperança

Postado em Atualizado em

“Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado” (Romanos 5:5)

Algumas lições onde a esperança se inclui:

1 – Na pratica do bem para com os outros: “No zelo, não sejais remissos; sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor; regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes; compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade; abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis” (Romanos 12:11-14).

– Através da esperança nos colocamos a inteira disposição de Deus para servi-lo com dedicação, zelo e temor. Nosso louvor e adoração não fluem de mecanismos externos e mecânicos, mas de corações rendidos ao Senhor e de “sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome” (Hebreus 13:15).  Sabemos pelas escrituras que algo muito melhor está por vir, e isto nos alegra sobremaneira. Neste mundo ainda passaremos por diversas provas, mas precisamos suportar as dificuldades confiando que Deus está conosco, nos livrando e protegendo. Nossa comunhão com Deus deve ser constante, e diariamente devemos falar com Ele, em toda e qualquer circunstância. Não fecharemos os nossos olhos ante as dificuldades dos irmãos, mas agiremos sempre como uma verdadeira família, onde ajudamos uns aos outros em todos os sentidos. Receber os irmãos em casa se torna um hábito saudável e não uma obrigação corriqueira. E por fim, assim como o Senhor, temos um coração bondoso, querendo o bem aos outros, mesmo aqueles que nos prejudicam.

Leia o resto deste post »