Reflexão Covid-19 e a Fé em Cristo

 

O Coronavírus e as reações na terra:

A pandemia provocada pelo Covid-19 parou o mundo, e afastou o homem de sua rotina normal do dia a dia. Milhares de mortes em todo planeta denunciaram a letalidade do novo vírus, e quanto nós, os seres humanos, somos frágeis e passíveis de contaminação.

É notório que a natureza “agradeceu” o “sumiço” dos homens: o ar está mais respirável, especialmente nas grandes metrópoles onde a poluição é enorme; o céu está mais limpo e claro; os animais invadem as zonas urbanas em várias cidades, e caminham tranquilamente nas ruas, praças, parques e praias sem o temor de serem atacados ou presos (áreas que antes eram deles); os campos florecem e estão mais verdes; o sol e a lua brilham incrivelmente ainda mais. Pessoas apressadas e cheias de coisas desta vida pra fazer não observam e não contemplam a grandeza e a maravilha do universo criado por Deus.

Sim, é notório que a criação está aliviada com o afastamento de seu principal inimigo. Questão: não seria o vírus uma resposta da natureza aos maus tratos do homem a ela? Como agirá este homem pós pandemia? Será o mesmo de sempre: cheio de maldade, ganância, malícia, corrupção e amante do dinheiro?

O Coronavírus e as reações dos cristãos:

E a nossa fé em Cristo, como está, como era, e como será? Que tipo de pessoas éramos, somos agora e seremos depois da pandemia? Seremos as mesmas pessoas? Será que nada tiraremos desta tragédia que se abateu a humanidade? E Deus, Ele espera verdadeira mudança; transformação de nossa parte; mente e corpo são, prontos para servi-lo como lhe convém?

Questão: não seria o vírus um aviso, um bloqueio, que Deus está utilizando para pararmos e pensarmos em o que estamos fazendo com a nossa fé em Cristo? Somos apenas mais um grupo religioso dentre centenas; ou somos de fato, reino e sacerdócio santo do Senhor Jesus na terra?

Questões para refletirmos:

1) Tudo que estávamos fazendo estava dentro da vontade de Deus?
2) Nossa conduta testemunhava Cristo e mostrava aos outros que temos comunhão com Ele? (Atos 4:13)
3) Nosso coração era, e é, um coração segundo o coração de Deus? O coração de Deus abençoa justos e injustos; bons e maus; amigos e inimigos (Mateus 5:43-48).
4) Quanto de nosso tempo dedicávamos ao Senhor diariamente? Leitura, meditação e estudo da Palavra; oração e serviços em prol do reino.
5) Estávamos amando uns aos outros como Jesus nos amou; repito: como Ele nos amou? Este é o novo mandamento dEle (João 13:34).
6) Deus estava contente com a nossa adoração? Lembrando que Deus não estava aceitando a adoração de Israel por causa dos pecados, especialmente a idolatria, a rejeitou e permitiu sua destruição completa pelos Assírios; o remanescente foi levado cativo e foi restaurado depois, ficou fiel por um tempo, mas desviou de novo. Do remanescente veio Jesus que estabeleceu seu reino na terra; sua igreja a qual pertencemos.
7) Éramos e somos súditos do Rei Jesus, seus representantes; embaixadores na terra? Não somos religiosos; não somos evangélicos; somos reino e sacerdotes do Senhor Jesus para seu serviço na terra.
8) Estávamos agindo como corpo de Cristo, ou seja, sendo na terra, o que Deus é no céu? Precisamos ser luz para as nações; resplandecer como luzeiros no mundo como disse o apóstolo Paulo em Filipenses 2:14-16.
9) Nossas atitudes glorificavam, e glorificam o nome de Deus, ou era, e é motivo dos pagãos blasfemarem contra Deus? É inacreditável o que os religiosos estão fazendo; os tele-pastores e a mercantilização da fé. Não fazemos parte disso! Precisamos ser diferentes, porque temos a verdade.
10) Nossa intenção no corpo de Cristo era e é servir e dar a nossa vida pela causa de Cristo, ou queríamos apenas participar sem compromisso das delícias espirituais? É maravilhoso estar no seio da igreja, e participar da comunhão com os irmãos, dos louvores, do partir do pão e demais formas de adoração e reuniões, porém, a vida cristã, o chamado de Cristo a nós, não se resume a apenas isto, mas, de nos entregarmos completamente a Ele; Jesus nos chamou para sermos mártires dele; morrer para o mundo e viver pra Ele; pegar nossa cruz, segui-lo, obedece-lo e servi-lo (Lucas 9:23).

O apóstolo Paulo escreveu:

“Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós. A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo. Porque, na esperança, fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o espera? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos.” (Romanos 8:18‭-‬25)

Que possamos sair deste afastamento social provocado por esta pandemia, pessoas melhores do que entramos, para servir verdadeiramente aos propósitos de Deus neste mundo que tem seus dias contados. Não vamos ficar aqui muito tempo, esta não é a nossa casa; nossa casa é no céu, onde o Pai está, e também Jesus a sua destra. O Espírito Santo está conosco, quando Jesus subiu, e nos consola, conforta, sustenta, guia e instrui. Que ouçamos a sua voz! (Apocalipse 2:29)

“Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos. Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.” (Romanos 8:26‭-‬30)

Que cada discípulo fiel de Cristo reflita bastante, ore a Deus, e seja transformado pelo poder do Espírito Santo que habita em nós, para que sejamos de fato novas criaturas a serviço do reino celestial. Que a nossa vida seja Cristo, para que a morte seja lucro (Filipenses 1:21).

2 respostas em “Reflexão Covid-19 e a Fé em Cristo

  1. Amém irmão!
    Em todas as circunstâncias da vida temos que buscar em primeiro lugar o Reino de Deus (Sua sabedoria sobre todas as coisas). E sobre tudo e em todo o tempo, bons e ruins temos que render graças ao Senhor. Paulo confiava no poder de Deus para ampará-lo nos momentos difíceis (Fp 4:13). São em tempos difíceis que em Deus temos a oportunidade de amadurecer e fortalecer nossa fé.
    Que Deus nos conceda o conhecimento e a sabedoria necessária para desenvolvemos a nossa salvação durante e pós pandemia, e por fim, até a volta do Senhor Jesus Cristo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s