Perdedores

Nublado - 2[Micaías] Eis que o SENHOR pôs o espírito mentiroso na boca de todos estes teus profetas e o SENHOR falou o que é mau contra ti. Então, Zedequias, filho de Quenaana, chegou, deu uma bofetada em Micaías e disse: Por onde saiu de mim o Espírito do SENHOR para falar a ti? Disse Micaías: Eis que o verás naquele mesmo dia, quando entrares de câmara em câmara, para te esconderes” (1 Reis 22:23-25).

Geralmente quem perde, “perde” o senso e parte pra briga. Quando alguém perde ou começa perder uma discussão, a tendência é pular para o campo da agressão, seja ela física ou verbal. Quando acaba-se os argumentos ou os argumentos são falhos ou baseados em meras ilusões, o perdedor parte para agressividade.

Em defesa do rei de Israel Acabe, Zedequias, um de seus profetas, perdeu as “estribeiras”. Micaías, o profeta do Senhor, estava profetizando a respeito do que aconteceria a Acabe devido a sua insistente desobediência a Deus (1 Reis 22:17,19-23,25,28); então, Zedequias reagiu em defesa do rei dando-lhe “uma bofetada”.


Falar algo agressivo já machuca e chegar ao ponto de esbofetear alguém, é e sempre será um insulto. Será que um profeta de Deus reagiria desta forma? A reação de Micaías – um verdadeiro profeta de Deus – mostra que não, pois ele não revidou o ato desprezível de Zedequias, mas respondeu com completo domínio de suas ações (“domínio próprio” – Gl 5:23), mais um profecia dada pelo Senhor (v. 25).

A reação de Micaías deve ser a reação dos cristãos – os autênticos e fiéis filhos Deus – ante a opressão, violência e oposição dos homens por causa de sua fé firme e inabalável em Jesus Cristo. Como afirmou o Senhor em suas bem-aventuranças: “Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós” (Mateus 5:11,12).

Portanto, perdedores são aqueles que defendem a mentira cobrindo a verdade para que ela não seja revelada e até usam de força bruta quando preciso. Inúmeros servos de Deus foram injuriados e perseguidos por causa de sua fé no autor e consumador da fé, Jesus Cristo; inclusive, Ele próprio sofreu mais do que ninguém, injúrias, perseguição e morte de cruz, para levar adiante o plano de redenção de Deus Pai. Louvado seja o Senhor por isso.

Palavras para guardar: Bem-aventurado, Regozijar e Exultar

Anúncios

Meditação – 1 Pedro 4:12,13

Regozijando na provação

“Amados, não estranheis a ardente provação que vem sobre vós para vos experimentar, como se coisa estranha vos acontecesse; mas regozijai-vos por serdes participantes das aflições de Cristo; para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e exulteis.” (1 Pedro 4:12,13)

 

– Jesus disse em seu famoso sermão da montanha que uma das bem-aventuranças é ser perseguido por causa da justiça (Mateus 5:11). E mais, Ele também disse que bem-aventurados são aqueles que são injuriados e perseguidos através das maldades causadas pelas mentiras dos oponentes (Mateus 5:12). Inventam mentiras para acusar falsamente os eleitos como fizeram a Jesus.

Paulo, instruindo Timóteo disse que “todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Timóteo 3:12). Ora, tudo isso vem confirmar com as palavras do apóstolo Pedro aqui.

Sofrer por causa de nossos erros e falhas não nos levará a lugar nenhum; é um sofrimento vão! Mas se você e eu estamos permanecendo fiéis no firme fundamento da Palavra de Deus, perseverantes, obedientes a Deus, cooperando com Cristo e compartilhando Seu amor e Sua Palavra, o que podemos e devemos esperar é a oposição dos que não creem em Jesus, e consequentemente, “sofrer” por causa disso.

Pedro diz sobre uma “ardente provação”. Isso me faz lembrar de Jó. Teve alguém na terra mais provado do que ele? Em um livro que li sobre ele, o autor diz: “A fidelidade de Jó ao seu Deus não ficou abalada. Ele não servia a Deus pelo que possuía e sabia que tragédias podem acontecer também a quem conhece a Deus. E sua certeza da soberania de Deus deu-lhe serenidade para adorá-lo no dia da perplexidade” (citação retirada do livro “O enigma da graça” em relação à Jó 1:47,48).

Temos certeza da soberania de Deus em nossas vidas?

Meditação – Mateus 5:12

Regozijando e exultando

“Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.” (Mateus 5:12)

– A perseguição é inevitável para aqueles que andam com Cristo. Num mundo de mentiras, engano e idolatria, o cristão permanece puro e fiel.

Algo estrondosamente maravilhoso espera pelo discípulo de Jesus no céu. Algo inimaginável; algo esplendoroso. Alegria intensa e grande contentamento já devem fazer parte integral da vida do cristão. O servo dedicado e zeloso terá a sua recompensa.

Se vamos nos render, rendamos a Cristo e não as perseguições ou a conivência com a injustiça e o pecado.

O sofrimento que produz alegria


O cristianismo puro e simples não ficará livre de tempos difíceis. Atrevo-me a dizer que é impossível para aquele que professa a verdadeira fé em Cristo neste mundo de corrupção, maldade e injustiça, não passe por momentos de tribulação em sua vida. O cristão, no sentido exato da palavra, ou seja, aquele que segue e obedece fielmente à vontade de Deus, não se alegra com a irreverência, com a malícia e com toda sorte de impureza, tão claramente impostas no mundo atual. O cristão não participa das obras infrutíferas das trevas; não tem prazer em nenhuma delas, antes como bom soldado de Cristo, tem muito a fazer em prol de seu General e não perde seu tempo com coisas vãs. Ele participa dos “sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou” (2 Timóteo 2:3,4).

Se você foi chamado por Cristo, alistado por Ele, o General, não perca tempo em batalhas vãs, batalhe pela causa de Cristo, ir “buscar e salvar o perdido” (Lucas 19:10).

Hoje estão cada vez mais “normais” no dia a dia da sociedade moderna, práticas irreverentes como: adultério, divórcio, imoralidade, falsidade, violência, corrupção, maldade, etc. A moral que Deus colocou em cada homem ao criá-lo, parece não fazer nenhuma diferença. Só em Cristo é possível para o pecador retomar o caráter que lhe foi colocado, quando da sua criação por Deus. O mais grave ainda é a falta de compromisso com o Senhor daqueles que se dizem “cristãos”, que com suas condutas, mostram-se completamente desconhecedores da pureza e santidade, fatores indispensáveis para uma comunhão plena com Deus. “Devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade” (2 Tessalonicenses 2:13). O fato é que existem muitos religiosos, mas poucos seguidores fiéis a Jesus Cristo e a sua soberana vontade.

 

Deus busca verdadeiros seguidores que “o adorem em espírito e em verdade” (João 4.24). O cristão fiel sofrerá muito neste mundo corrupto comandado pelo paganismo e idolatria, mas é um sofrimento que produz alegria; a mesma alegria e satisfação que os apóstolos tiveram ao serem açoitados e mortos pela causa de Cristo; por serem fiéis a Ele. “Chamando os apóstolos, açoitaram-nos e, ordenando-lhes que não falassem em o nome de Jesus, os soltaram. E eles se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome(Atos 5:40,41). O alvo de cristão é o céu – a morada eterna ao lado de Deus -; aqui, apenas estamos de passagem, peregrinos em terra estranha, pois a nossa pátria é a celestial. Muitos confundem o sofrimento que os apóstolos e servos de Deus tiveram ao longo dos anos, como se Deus não fizesse nada para impedir. Mas a verdade é que “…todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Timóteo 3:12). Viver piedosamente é viver em reverência total para com Deus; é ser zeloso com a Sua obra; é cuidar de Seus interesses aqui na terra; é ser fiel em toda e qualquer situação. O “mundo” não está interessado nisto, e quem decidir se envolver, ou melhor, se comprometer com Deus, cabalmente começará a ser perseguido, pois quem se aproxima dele precisa deixar muitas praticas (como as que descrevi acima) e não se envolver com “negócios desta vida” que a sociedade busca desenfreadamente e acabam tirando o cristão da meta principal que é servir e agradar a Deus.

 

“Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo” (1 Pedro 1:14-16). Ser santo é ser separado para servir a Deus; é não se corromper; é não se amoldar aos padrões humanos de moralidade. Ser santo é não se contaminar com as impurezas e desejos desenfreados da carne e dos pensamentos. Ser santo é ser consagrado ao serviço de Deus, ou seja, separar a sua vida para ser usada pelo Senhor como um instrumento purificado.

 

Que busquemos cada vez mais esse caráter de Deus em nossas vidas; o caráter que nos faz semelhantes a Ele. Um caráter que não se dobra ante a imposição ou influência deste mundo de transgressão, maldade e injustiça.