O povo exclusivo de Deus

Postado em Atualizado em

Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniqüidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras. Dize estas coisas; exorta e repreende também com toda a autoridade. Ninguém te despreze. (Tito 2:11-15)

– A graça salvadora está em Cristo Jesus (Tt 2:11-14)

Deus se aproximou de todos nós com o intuito de nos resgatar de nossas iniqüidades. Pela sua graça fomos salvos da condenação certa, como o mundo que jaz no maligno (1 João 5:19). Ele nos mostrou o quanto estávamos longe dEle, entregues ao pecado tão abundantemente exposto no mundo. Ele nos chamou, nos salvou e tem nos mostrado onde e como devemos andar: em santidade e novidade de vida.

Agora, o que nos resta é aguardar pacientemente a volta de nosso Senhor Jesus que virá buscar os seus; aqueles que aceitaram o seu chamado; que compreenderam que não poderiam mais viver como antes, pois foram limpos e purificados de suas paixões e desejos carnais; aqueles que estão sendo transformados, de glória em glória, na sua própria imagem (2 Coríntios 3:18).

Jesus se entregou como sacrifício vivo por todos nós para anular nossa dívida diante do Pai a qual não poderíamos pagar. Sem Jesus estávamos todos condenados ao castigo eterno, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus (Romanos 3:23).

Ele nos limpou para ser somente dele; um povo santo e consagrado para realizar tudo aquilo que Ele planejou em sua obra redentora (veja Efésios 2:10). Somos parte do plano de Deus para a salvação. Sejamos bons despenseiros da multiforme graça de Deus (1 Pedro 4:10). Sejamos aqueles que se entregam, cuidam e dedicam suas vidas pela causa de Cristo aqui na terra.

– Como os cristãos devem falar e agir (Tt 2:15)

Sendo cristãos, como devemos viver e transmitir a palavra aos outros? Qual deve ser a nossa pregação de vida? Que somos salvos pela graça de Deus que nos educa a deixar o mundo e suas paixões pra viver irrepreensivelmente, esperando a volta de Jesus, que morreu por nós para separar um povo santo que consagra sua vida na obediência a vontade de Deus.

Sim, é isso que os versos 11 a 14 nos ensinam viver e a pregar. Temos que ser pregadores itinerantes, assim como Jesus o era. Pela autoridade da Palavra de Deus, devemos animar, encorajar e corrigir uns aos outros e a qualquer um que não vive segundo o chamado de Deus: fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena (Colossenses 3:5).

Se quisermos nos tornar um povo santo e consagrado, precisamos deixar para trás toda concupiscência da carne (Gálatas 5:16), e piedosa, justa e irrepreensivelmente procedermos diante de Deus e dos homens (1 Tessalonicenses 2:10). Quem despreza isto, despreza não a homens, mas a Deus.

– A santidade é o ornamento perpétuo da casa de Deus (Sl 93:5)

Os teus mandamentos permanecem firmes e fiéis; a santidade, Senhor, é o ornamento perpétuo da tua casa. (Salmo 93:5)

– Deus é imutável. Nós, pelo contrário somos mutáveis. O Senhor é o mesmo ontem, hoje e amanhã; porém, ontem estávamos de um jeito, hoje, talvez, já estamos diferentes, e amanhã, não sabemos como estaremos. A vontade de Deus, porém, continua a mesma (Êxodo 20:1-17; Mateus 22:37-40).

Os mandamentos do Senhor se resumem nestes dois grandes mandamentos da antiga lei: Amarás o teu Deus e ao teu próximo (Mateus 22:37-40); e eles não mudarão porque não conseguimos praticá-los ou porque não aceitamos.

Gostamos de ornamentar nossas casas, com móveis e utensílios belos e bonitos; mas eles não duram muito; com o tempo o desgaste é notório e temos que mudar. Nada dura pra sempre neste mundo. Deus, porém, já tem sua morada ornamentada eternamente com a santidade. A sua habitação é santa, porque Ele é santo. Santidade é o estado de Deus; Ele é santo e sempre será. NEle e na sua presença não habita qualquer sombra de pecado.

– Conclusão

Se quisermos agradar a Deus precisamos guardar e praticar seus mandamentos e não acharmos que Ele nos aceitará sem que haja transformação, mudança e conversão genuína. Também precisamos buscar a santidade a qualquer custo, pois este é o estado que seus filhos devem se encontrar. Conseguiremos a santidade, através da santificação, que é o processo para alcançar a santidade. À medida que crescemos e amaduremos na fé, vamos refugando aquilo que não agrada e não entra na presença de Deus.

O que precisamos refugar em nossas vidas para nos tornarmos um povo santo e exclusivo de Deus? Hoje é o dia para começar!

Anúncios

2 comentários em “O povo exclusivo de Deus

    Raquel Araújo Souza disse:
    1 maio, 2013 às 13:51

    Amém!:D Muito edificada pelo seu texto… o Senhor continue dando sabedoria a vocês.

    Raquel Souza disse:
    1 maio, 2013 às 13:52

    Amém! Muito edificada com a palavra. Que o Senhor continue dando sabedoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s