Pregador da palavra de Deus

Postado em Atualizado em

Quem é, e o que prega um ministro do evangelho? (2 Tm 4:1-5)

Um pregador …

1) Prega a palavra de Deus, e não a sua:
“Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus.” (2 Coríntios 4:5)

“A verdade é que nunca usamos de linguagem de bajulação, como sabeis, nem de intuitos gananciosos. Deus disto é testemunha.” (1 Tessalonicenses 2:5)

2) Prega a Cristo, e não a igreja:
“Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios; mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus.” (1 Coríntios 1:22-24)

“A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus.” (1 Coríntios 2:4,5)

3) É um mensageiro, e não a mensagem:
“Quanto a Tito, é meu companheiro e cooperador convosco; quanto a nossos irmãos, são mensageiros das igrejas e glória de Cristo.” (2 Coríntios 8:23)

“Julguei, todavia, necessário mandar até vós Epafrodito, por um lado, meu irmão, cooperador e companheiro de lutas; e, por outro, vosso mensageiro e vosso auxiliar nas minhas necessidades” (Filipenses 2:25)

4) É o que planta, e não quem dá o crescimento:
“Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho. Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós.” (1 Coríntios 3:6-9)

5) É um representante, mas não a autoridade:
“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” (Mateus 28:18-20 – Jesus Cristo tem toda a autoridade)

6) É um administrador, e não o proprietário:
“Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel.” (1 Coríntios 4:1,2)

“Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância” (Tito 1:7)

“Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” (1 Pedro 4:10)

7) É um leitor e intérprete, mas não o autor:
“Então, disse o Espírito a Filipe: Aproxima-te desse carro e acompanha-o. Correndo Filipe, ouviu-o ler o profeta Isaías e perguntou: Compreendes o que vens lendo? Ele respondeu: Como poderei entender, se alguém não me explicar? E convidou Filipe a subir e a sentar-se junto a ele. Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus.” (Atos 8:27-40)

“Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas; muito mais, porém, que profetizásseis; pois quem profetiza é superior ao que fala em outras línguas, salvo se as interpretar, para que a igreja receba edificação. Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação.” (1 Coríntios 14:5,26)

8) É aquele que serve, e não o que é servido:
“Porque de vós repercutiu a palavra do Senhor não só na Macedônia e Acaia, mas também por toda parte se divulgou a vossa fé para com Deus, a tal ponto de não termos necessidade de acrescentar coisa alguma; pois eles mesmos, no tocante a nós, proclamam que repercussão teve o nosso ingresso no vosso meio, e como, deixando os ídolos, vos convertestes a Deus, para servirdes o Deus vivo e verdadeiro” (1 Tessalonicenses 1:8,9)

“No zelo, não sejais remissos; sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor” (Romanos 12:11)

Se há a compreensão destas coisas, de fato estaremos preparados para as boas obras “as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2:10).

Um pregador não faz de seu momento de falar um palanque político; não utiliza sua mensagem para dar recado, cobrar dos outros, esbravejar ou desabafar. Sua mensagem é para falar das grandezas de Deus e de exaltá-lo; é para ensinar a palavra de Deus e instruir segundo sua soberana vontade. É para aconselhar e confortar; estimular e encorajar; corrigir, repreender e exortar “com toda a longanimidade e doutrina” (2 Timóteo 4.2). Se não prega com estes propósitos, é melhor não pregar.

Na vida cristã, se queremos que os outros façam, façamos primeiro! Se queremos que os outros sirvam, sirvamos primeiro! Se queremos que os outros sejam exemplos, sejamos exemplo primeiro! Se queremos que os outros obedeçam a Deus, obedeçamos primeiro!

“Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo.” (Tiago 3:1) – Tiago se dirigiu aos presbíteros, mas pode ser aplicado a qualquer que ensine e exerça influência no reino de algum modo. Além de tudo, um bispo é um pregador e mestre na palavra, pois estas virtudes são indispensáveis para a sua qualificação no exercício do presbitério (1 Timóteo 3:2; Tito 1:9). “Porque existem muitos insubordinados, palradores frívolos e enganadores,” e é “preciso fazê-los calar, porque andam pervertendo casas inteiras, ensinando o que não devem, por torpe ganância” (Tito 1:10,11).

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.” (1 Timóteo 4.16)

“Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério.” (2 Timóteo 4.1-5)

Que cada um cumpra cabalmente o seu ministério para a glória e honra de Deus e para a edificação dos ouvintes!

Anúncios

2 comentários em “Pregador da palavra de Deus

    Neide Meri disse:
    21 julho, 2013 às 19:33

    Sou grata a Deus em fazer parte da santa igreja de Cristo, e ser simplesmente cristã. Nasci no nordeste pernambucano, moro atualmente em Sorocaba.

    Ademir de Souza disse:
    5 fevereiro, 2015 às 16:04

    Sou grato a Deus em fazer parte da igreja de Cristo. Faz pouco tempo, mas estou aprendendo muita coisa importante da palavra de DEUS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s