Rei Josafá

Cuidado com as amizades

Postado em Atualizado em

Josafá, rei de Judá, e Acabe, rei de Israel, eram amigos, inclusive eles tinham uma ligação muito forte com a união matrimonial de seu filhos, Jeroão e Atalia (2 Reis 8:18,27).

Sabemos que Josafá era um bom rei, diferentemente de Acabe que era um mau rei. A amizade entre os dois até então não tinha problemas, porém, Josafá ao aceitar o convite de Acabe para participar com ele na batalha contra os Sírios para retomar a cidade de Ramote-Gileade, cometeu um erro, pois preferiu agradar ao amigo do que agradar a Deus (1 Reis 22:4).

Leia o resto deste post »

Anúncios

Nada senão a verdade

Postado em Atualizado em

Uma reflexão sobre as atitudes do rei de Israel Acabe, o rei de Judá Josafá e do profeta Micaías

Introdução:

Acabe e Josafá, reis de Israel e Judá respectivamente, ouviram dos 400 profetas de Acabe o que iria acontecer a respeito do combate contra os Sírios, na batalha para retomar a cidade de Ramote-Gileade das mãos deles (1 Rs 22:6). Combate este contrário a vontade de Deus. O bom rei Josafá, aceitou o convite de Acabe para pelejar com ele contra os Sírios, arriscando-se em fazer uma aliança com um rei perverso e desobediente a Deus (1 Rs 22:2-4). Mas o rei de Judá não se contentou em apenas ouvir os profetas de Acabe; ele queria ouvir um verdadeiro profeta de Deus (1 Rs 22:5,7). Micaías então foi chamado, contrariando o rei de Israel. O profeta alertou que nesta batalha o Senhor entregaria Acabe nas mãos do rei da Síria; mas ele não lhe deu ouvidos (1 Rs 22:8,9,14-23).

Pensamento:

Estamos dispostos a ouvir o que não queremos? A tendência humana é recusar dar “ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas” (2 Tm 4:4). É muito mais fácil ouvir uma “fábula” do que ouvir a verdade. O rei de Israel Acabe, envolto na idolatria e na perversidade, recusava-se ouvir a verdade por meio dos profetas de Deus, dando lugar as palavras que ele queria ouvir de seus próprios profetas.

Leia o resto deste post »

Ninguém pode se esconder de Deus

Postado em Atualizado em

Rei Acabe - 5Então, um homem entesou o arco e, atirando ao acaso, feriu o rei de Israel por entre as juntas da sua armadura; então, disse este ao seu cocheiro: Vira e leva-me para fora do combate, porque estou gravemente ferido.” (1 Reis 22:34)

O rei Acabe se disfarçou para entrar no combate contra os Sírios, não vestindo os trajes reais – como era comum entre os reis que lideravam seus exércitos – deixando somente Josafá o fazê-lo e dessa forma colocando o rei de Judá em situação de risco, porém ele ficaria “a salvo”, pois não seria identificado pelo inimigo como rei de Israel (1 Reis 22:29-33). Acabe, sem saber, era o principal alvo do exército sírio; ordem dada pelo rei Ben-Hadade, “amigo” do rei de Israel (vers. 31).

O plano de Acabe parecia estar dando certo, pois Josafá é quem foi confundido como ele, mas Deus teve misericórdia deste rei piedoso e o livrou da morte (vers. 32,33). Porém, Acabe se esqueceu que a sua sentença estava consumada, que fora predita por Micaías e também por Elias, mas o rei de Israel não deu ouvidos para nenhum dos profetas de Deus e um homem entesou o arco e, atirando ao acaso, feriu o rei de Israel” (vers. 34a). Acabe, disfarçado, tentou fugir dos trinta e dois capitães do exército sírio, mas o que parecia estar dando certo acabou de forma trágica, pelas mãos de um desconhecido soldado.

Como disse David Roper em seu estudo sobre Elias publicado por Verdade para hoje: “Ninguém pode se esconder de Deus”. Esta é a verdade suprema que impera sobre Deus e seus atributos. Ninguém pode esconder daquele que é onisciente, onipresente e onipotente. Será que temos plena consciência destes três atributos que só o Criador tem? É na consciência e certeza destes atributos é que o cristão vive e caminha, pois sabe que qualquer coisa que esteja oculta aos homens “estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas” (Hebreus 4:13b).

Aquele que mente, Deus sabe! Aquele que olha com intenção impura, Deus sabe! Aquele que sonega imposto, Deus sabe! Aquele que ama, como o que odeia, Deus sabe! Aquele que perdoa, como o que não perdoa, Deus sabe! Aquele que guarda o segredo, como o que não guarda e faz fofoca, Deus sabe! Enfim, o que Deus não sabe? Não há coisa alguma sequer que Deus não saiba, “pois nada há encoberto, que não venha a ser revelado; nem oculto, que não venha a ser conhecido” (Mateus 10:26). Deus é aquele que revelará o que está encoberto, e tornará conhecido o que está oculto entre os homens.

O que se pode esconder de Deus? Nada! Como deve então proceder aqueles que o temem? Reter “a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor; porque o nosso Deus é fogo consumidor” (Hebreus 12:28b,29).

“Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato.” (Romanos 1:20,21)

Palavras para guardar: Servir (a Deus), Reverência e Temor (para com Ele)

Um coração piedoso

Postado em Atualizado em

Josafá - 1Vendo os capitães dos carros Josafá, disseram: Certamente, este é o rei de Israel. E a ele se dirigiram para o atacar. Porém Josafá gritou. Vendo os capitães dos carros que não era o rei de Israel, deixaram de o perseguir.(1 Reis 22:32,33)

Josafá certamente errou em apoiar Acabe e em consequência quase perdeu a vida num combate que não era dele e não era para ele participar, pois não tinha o aval e a direção de Deus. Em contra-partida, a perversidade de Acabe parecia não ter fim. Ele expos seu “amigo” a perigos de morte, colocando Josafá numa batalha sem a permissão do Senhor e deixando-o trajar as vestes reais, enquanto ele não. Como diria um antigo personagem de Jô Soares: “mui amigo”. Quem tem um amigo assim, não precisa de inimigo.

A diferença entre Josafá e Acabe estava na piedade. Josafá cometeu um erro em ignorar a advertência de Deus, mas foi salvo devido ao seu coração piedoso. Ninguém está livre de errar, mas “o Senhor conhece os que lhe pertencem” (2 Timóteo 2:19b) e “livra os que estão sendo levados para a morte e salva os que cambaleiam indo para serem mortos” (Provérbios 24:11). Deus exerceu sua misericórdia em favor de Josafá, e o livrou da morte, devido ao seu coração, um coração que temia e reverenciava ao Senhor.

Já Acabe cometeu erros após erros, desobediência após desobediências ao Senhor devido ao seu coração perverso. Mesmo assim, o rei de Israel teve a mercê do Senhor, porém ele também ignorou a misericórdia de Deus, resultando em um fim trágico (1 Reis 22:34-38). “A justiça dos retos os livrará, mas na sua maldade os pérfidos serão apanhados” (Provérbios 11:6).

Deus está pronto para salvar e é esta a sua vontade. “Deus, nosso Salvador, …deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1 Timóteo 2:3,4 – veja  João 6:37-40). Mas, Ele não pode salvar aqueles que não querem e rejeitam a verdade da Sua Palavra. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7).

Obs.: Piedade biblicamente falando quer dizer: temor para com Deus, zelo, cuidado e amor com as coisas do Senhor; piedoso é aquele que cuida das coisas de Deus, o ama e o teme – é reverente. Tem alegria em servir a Deus e adorá-lo.

Palavra para guardar: Piedade

O disfarce inútil

Postado em Atualizado em

Rei Acabe - 4Subiram o rei de Israel e Josafá, rei de Judá, a Ramote-Gileade. Disse o rei de Israel a Josafá: Eu me disfarçarei e entrarei na peleja; tu, porém, traja as tuas vestes. Disfarçou-se, pois, o rei de Israel e entrou na peleja.” (1 Reis 22:29,30)

O rei de Israel, Acabe, estava tenso por causa da proximidade do combate em Ramote-Gileade. Ele devia estar se lembrando das palavras contrárias ditas pelos profetas Elias e Micaías a seu respeito (1 Reis 20:42; 21:19b; 22:17a;23b).

A tensão aumentou, não só por causa da batalha em si, mas pelas profecias nada animadoras. Ela aumentaria ainda mais se Acabe soubesse dos planos de Ben-Hadade, rei da Síria, a seu respeito: “Não pelejareis nem contra pequeno nem contra grande, mas somente contra o rei de Israel” (1 Reis 22:31). O rei da Síria deixou bem claro quem ele queria morto. O estranho de tudo isso é que Ben-Hadade era aquele a quem Acabe considerava como um “irmão” e acabou soltando-o após a sua vitória que foi concedida por Deus (1 Reis 20). O rei de Israel soltou aquele a quem Deus já havia condenado (1 Reis 20:31-34,42). Desobedecer a Deus tem as suas conseqüências.

Acabe então pensou numa forma de se safar de seu destino já predito: Eu me disfarçarei e entrarei na peleja”; com certeza como um soldado comum. Porém, o rei não tinha como escapar, pois a sua sentença já estava dada. Mesmo disfarçando-se, ele não teria outro fim que não fosse a morte nesta batalha (1 Reis 22:34-38). Em episódios anteriores podemos comprovar que o rei de Israel teve oportunidades dadas por Deus de se arrepender e voltar-se para Ele, mas Acabe se arrependeu momentaneamente e por fim a paciência de Deus se esgotou. Com a sentença dada pelo profeta Micaías, a vida de Acabe estava chegando ao fim (1 Reis 22:14-26); não que Deus não tenha dado inúmeras oportunidades para o arrependimento do rei de Israel, mas porque ele não queria e não quis se arrepender.

Os antigos quando saíram do Egito – onde eram oprimidos como escravos – ganharam a mercê de Deus pela sua libertação, mas murmuraram tanto ao ponto de confeccionar um deus para adorarem, e acabaram perecendo no deserto por onde peregrinaram. Daquela geração apenas dois entraram na terra prometida, a saber, Josué e Calebe. Nem Moisés entrou por ter desobedecido a Deus (Deuteronômio 34:4-6).

Hoje, os cristãos estão peregrinando em “terra estranha” rumo ao céu, pelo deserto deste mundo corrompido pelo pecado e muitos tem ficado pelo caminho; alguns porque passam a adorar falsos deuses; outros porque se disfarçam de fiéis enganando a si próprios; outros reclamando da vida e de Deus; e outros “porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus” (João 12:43). O fato é que Jesus disse: “Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela (Mateus 7:13,14).

O povo antigo – idolatra, desobediente e murmurador – não herdou a terra prometida, apenas seus descendentes; e da mesma forma aqueles que idolatram, não se arrependem e não obedecem a Deus, também não herdarão o reino dos céus. Portanto, adoremos somente Àquele que digno de ser louvado e adorado: O Deus Todo Poderoso. Arrependamos de nossos pecados sem o qual pereceremos pelo caminho rumo a “terra prometida”, o céu; e obedeçamos ao Único e Soberano Senhor do universo: O Deus Criador.

Palavras para guardar: Adorar (somente a Deus – Elohiym), Arrependimento e Obediência (ao Senhor – Yehovah)