“De fato, é justo para com Deus que ele dê em paga tribulação aos que vos atribulam e a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder” (2 Tessalonicenses 1:6–9).

Alguns pensam erroneamente que há um Deus no Velho Testamento e outro no Novo Testamento. Já outros pensam que Deus “mudou”; Ele agia de uma forma na Antiga Aliança e de outra na Nova Aliança. Deus não mudou, pois Ele é imutável: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança” (Tiago 1:17). O fato é que na primeira aliança, Deus tratava os desobedientes de forma temporal; já na nova aliança, o Senhor já pré-determinou um dia onde acertará as contas com todos os seres humanos (Atos 17:30,31; Hebreus 4:12,13; João 12:48; Romanos 14:12). “Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.” (2 Coríntios 5:10).

Muitos agem como se não tivesse um fim; um dia onde tudo acaba, seja com a morte física ou com o dia do grande juízo de Deus. Vivem desordenadamente, mesmo sabendo das implicações que isso pode ter. Muitos incrédulos passam a crer quando algo acontece em suas vidas e mudam completamente de rumo; em contrapartida, muitos que creem, acabam com o passar do tempo, aceitando diversas coisas que para Deus, não são aceitáveis ou não deveriam fazer parte da vida de um cristão (Romanos 12:1,2). Tem uns “cristãos” moderninhos por aí, que acabarão tendo uma triste surpresa no final!

A misericórdia e a graça de Deus estão abertas a todos, independentemente de raça, grau de instrução ou nacionalidade, porém, precisa haver arrependimento e fé, virtude esta, imprescindível para agradar a Deus. “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6).

Não vamos nos enganar pensando que este mundo tem solução, pois não tem. João disse em sua primeira carta: “Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno” (5:19). A solução é se entregar e nos apegar cada vez mais naquele que é “nosso Salvador Cristo Jesus, o qual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho” (2 Timóteo 2:10). A “nossa esperança” deve estar “no Deus vivo, Salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis” (1 Timóteo 4:10).

É importantíssimo darmos a devida atenção as exortações da Palavra de Deus, como por exemplo, a que foi feita pelo apóstolo Pedro: “Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão.” (2 Pedro 3:9-12).

Palavras de Jesus a serem levadas em máxima consideração: 
“Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se. E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim. Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras [no sangue do Cordeiro], para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas.” (Apocalipse 22:11-14)