Amando vossa esposa

“Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura.” (Colossenses 3:19)

– Amar aqui vem do grego ‘agapao’, forma imperativa de ‘agape’. Este é o amor de Deus aos homens, e em consequência, dos homens a Deus, aos outros e aos seus inimigos. Recebemos este amor quando nos entregamos a Deus em obediência ao batismo – o fruto do Espírito (Gálatas 5:22). O amor aqui é uma ação que se faz em benefício do outro; uma atitude sacrificial. Ex.: Jesus nos amou e deu a sua vida por nós, porém, não merecíamos o que Ele fez, mas Seu amor o fez agir em nosso favor. Assim como a graça é um dom imerecido, o amor ‘agape’ é uma dádiva que Deus nos oferece sem merecermos. Quando entendemos o amor de Deus, passamos a amar como Ele amou. Jesus disse: “Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros” (João 13:34).

A instrução do apóstolo Paulo para os maridos é: “amai vossa esposa”. Ele não disse: “se for possível…; se der…; se ela te corresponder…; se ela merecer…; etc.”. Ele disse: “amai vossa esposa”, ou seja, o marido deve amar sua esposa independentemente como ela responde a este amor. Quer um exemplo? Jesus e a sua igreja: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela (Efésios 5:25). Jesus (o Noivo) é fiel, mas como igreja (a noiva), nem sempre somos fiéis a Ele. Às vezes, transgredimos sua vontade; às vezes pecamos; às vezes deixamos de cumprir com as atitudes que Deus quer para nossas vidas, mas Jesus continua nos amando. Quer outro exemplo? Oséias e Gômer. O profeta amava sua esposa, porém ela o traia e desprezava-o; mas Oséias a perdoou e reconciliou com ela (Leia o livro de Oséias). Devemos lembrar que “amai” do verso em colossenses está no imperativo, ou seja, é um mandamento ou uma ordem direta do Senhor, assim como o “ide” em Mateus 28:19. O cristão deve ir e “fazer discípulos de todas as nações”; é a vontade soberana de Deus. O marido deve amar sua esposa, pois é a vontade soberana de Deus.

Paulo ainda acrescentou algo ao amor que os maridos precisam oferecer as suas esposas: “não a trateis com amargura”. Tratar com amargura (gr. Pikraino) é causar grande aflição acompanhada de opressão e tristeza; é tornar o relacionamento amargo, azedo. Quem quer algo assim? O marido precisa tratar a sua esposa com docilidade, cuidado e carinho.

Jesus nos ama e continua nos amando, independentemente como respondemos a este amor. Nem sempre somos fiéis, mas Ele continua fiel. Às vezes caímos e Ele está pronto para nos levantar. Em certos momentos, pecamos, mas Ele nos perdoa. Do mesmo modo, Oséias, retratando Deus com seu povo, muitas vezes infiel aos seus desígnios, perdoou e os amou. O profeta Óseias amou, perdoou e socorreu sua esposa Gômer, apesar dela ser infiel e o tratar com desprezo.

O marido deve amar sua esposa e não a tratar com amargura; esta é a vontade de Deus. Deus amou o povo Israel retratado em Oséias; Jesus amou a igreja (Efésios 5:25). O amor de Deus, Oséias e Jesus era o mesmo: o ‘agape’. Ao marido foi dada a mesma instrução. É uma honra para o marido amar sua esposa, assim como Deus ao seu povo e Jesus a sua igreja. O marido que não ama está fora dos desígnios do Criador.

Existem outros tipos de amor: 1) o amor entre seres humanos (gr. phileo) – Ex.: pais ao filho, filho aos pais, amizade, etc. 2) o amor entre irmãos em Cristo (gr. philadelphia), o amor fraternal. 3) o amor físico – incluindo o sexo – (gr. ‘eros’) [ver nota abaixo]. Eles são importantes na relação matrimonial, mas se não houver o ‘agape’ entre o casal, dificilmente eles enfrentarão juntos os desafios e dificuldades da vida a dois. Se existir o ‘agape’ no matrimônio, o casal ficará unido por toda a vida como é a vontade de Deus. “Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem” (Marcos 10:9).

Marido quer ser abençoado? Ame (gr. agape)  a sua esposa e não a trate com amargura!

Nota: “O amor físico (gr. ‘eros’) no contexto de um casamento bíblico é correto e até incentivado (1 Coríntios 7:2, 3; Hebreus 13:4), mas ‘eros’ tinha tantas conotações ruins que os escritores do Novo Testamento evitaram usá-lo.” (por David Roper em seu estudo “A carta de Paulo aos Romanos” – publicado por “Verdade para hoje”)

Anúncios

Um comentário sobre “Amando vossa esposa

  1. Carlos José Cruz Bonfim

    Olá irmão, muito boa a lição sobre casamento. Que Deus continue abençoando seu trabalho.

Deixe uma resposta para Carlos José Cruz Bonfim Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s