Características da igreja

Postado em Atualizado em

Em sete pontos – um número perfeito em Apocalipse – as características básicas da igreja do Senhor Jesus Cristo (candeeiro de ouro conforme Apocalipse 1:12,13,20).

Obviamente, existem outras características que definem a igreja a qual Jesus é o Cabeça, Senhor e Salvador, mas limitamos nestas sete para enfatizar as questões que mais fogem do modelo original descrito no Novo Testamento nos dias atuais.

1) A igreja é um organismo, não uma organização: “Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo.” (1 Coríntios 12:27)

– A igreja é um organismo vivo (corpo formado por pessoas redimidas), e não uma organização humana, ou seja, uma empresa, entidade, corporação, instituição, etc. A igreja é o corpo de Cristo.

2) A igreja são pessoas e não um prédio: “Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude.” (Colossenses 1:18,19)

“Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.” (Efésios 2:19-22)

No primeiro ponto distinguimos a igreja (organismo) de uma organização humana; neste distinguimos a igreja (corpo) do local de reuniões.

– A igreja são as pessoas; cada um dos discípulos de Cristo – “seguidores do Cordeiro” (Apocalipse 14:4) -, e não um local, ou o local onde ela se reúne (templo, capela, catedral, casa, espaço, etc.). Não se diz: “eu vou a igreja”; pois cada um dos cristãos é, e precisa ser  igreja (corpo de Cristo) em todo e qualquer lugar (João 4:19-24).

3) A igreja louva a Deus com os lábios: “Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome.” (Hebreus 13:15)

– A igreja não louva e adora a Deus com instrumentos musicais, pois não há palavra do Senhor Jesus autorizando o uso deles em sua Nova Aliança (Novo Testamento). Muito pelo contrário, estimula e ensina o canto somente pela voz (veja 1 Coríntios 14:15; Colossenses 3:16; Efésios 5:19). Aliás, instrumento musical, como toda a lei de Moisés é principado e potestade (ver observação). Instrumento musical é rudimento do mundo. Cristo é o cabeça de todo principado e potestade. Porém, em Jesus está toda plenitude da Divindade; em Cristo está toda a revelação e perfeita vontade de Deus para o seu povo hoje (cf. Colossenses 2:8-10).

– “Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo; porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade. Também, nele, estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade.” (Colossenses 2:8-10)

Obs.: De forma geral, principado e potestade, é um conjunto de regras, normas e mandamentos que tendem a levar e direcionar o homem a Deus.

4) A igreja oferta conforme prosperidade e com alegria: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.” (2 Coríntios 9:7)

– Cada discípulo faz sua oferta conforme instrução dada por Jesus, sem ser por obrigação ou imposição, mas conforme seus ganhos, dados sempre com alegria. Não há palavra do Senhor Jesus para dar o dízimo em sua Nova Aliança. Aliás, o dinheiro arrecadado em ofertas voluntárias não é para “enriquecer” alguns poucos membros, ou guardar dinheiro (a igreja não é banco, empresa e/ou organização); mas para as necessidades dos santos e a divulgação e propagação do evangelho (Atos 2:45; 4:34,35; 2 Coríntios 9:12; Filipenses 4:15-19; 2 Coríntios 8:11).

– De igual modo ao ponto anterior, dízimo faz parte da lei de Moisés, não está na plenitude da Divindade, ou seja, não está em Cristo; não está na perfeita vontade e revelação de Deus para igreja, seu povo hoje. A lei de Moisés foi um “aio” (tutor) para nos conduzir a maioridade em Cristo. Permanecer ou voltar ao aio nos fazer decair da graça (cf. Gálatas 5:4).

5) Na igreja (corpo reunido) os varões pregam e ensinam: “Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação.” (1 Coríntios 14:26)

– Não há menção de mulheres ensinando e pregando quando a igreja está reunida para adorar a Deus, ou seja, homens e mulheres cultuando juntos. Aliás, há proibição (1 Coríntios 14:34,35 1 Timóteo 2:11-15). Se há proibição para as mulheres, quem deve pregar e ensinar quando todo o corpo se reúne? Claro, óbvio e evidente que são os homens (varões).

6) Na igreja os homens presidem (guiam, lideram): “Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja.” (1 Timóteo 3:1)

“Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi” (Tito 1:5)

– Não há menção de “liderança” feminina na igreja do Senhor Jesus (pastoras; bispas; etc.), nem tão pouco ensino ou instrução para isto. Aliás, esta palavra “liderança” (e “líder”) não é mencionada na Bíblia; mostrando que os obreiros devem guiar ao invés de mandar; devem servir, ao invés de serem servidos (João 13:2-17). Resumindo, os obreiros (pastores, evangelistas, pregadores e mestres) devem guiar a igreja, servindo-a, fazendo primeiro e sendo modelos para o rebanho; principalmente os pastores (1 Pedro 5:1-3).

– Na igreja, homens qualificados segundo a Bíblia (1 Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9) “lideram”, ou melhor guiam (servem) a igreja, levando-a ao supremo Pastor que é Cristo. Pastores que também são chamados de presbíteros ou bispos são atribuições para um mesmo homem. Lembrando que a “liderança” é servil (guias), ou seja, pastores são servos de Cristo e da igreja, e não chefes dela – Além disto, é necessário uma pluralidade deles [dois ou mais] em cada congregação (igreja local). Cristo sendo Senhor serviu aos discípulos (João 13:2-17); em consequência, todos os seus servos precisam seguir seu exemplo. Na igreja, o dono e Senhor é Jesus Cristo; Ele é quem manda, ninguém mais (Mateus 28:18-20).

7) A igreja segue única e exclusivamente as Palavras do seu Senhor, Jesus Cristo:

“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro e aos irmãos Tiago e João e os levou, em particular, a um alto monte. E foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandecia como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. Então, disse Pedro a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, farei aqui três tendas; uma será tua, outra para Moisés, outra para Elias. Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi. Ouvindo-a os discípulos, caíram de bruços, tomados de grande medo. Aproximando-se deles, tocou-lhes Jesus, dizendo: Erguei-vos e não temais! Então, eles, levantando os olhos, a ninguém viram, senão Jesus. (Mateus 17:1-8)

– Moisés representando a Lei, e Elias representando os profetas “sumiram” ficando apenas Jesus, ou seja, a igreja, a família e povo de Deus hoje, deve ouvir, seguir e obedecer unicamente a Cristo como Senhor e Mestre. Moisés (Lei) e Elias (profetas) sumiram para dar lugar a Jesus, que é o eterno pastor e salvador de nossas almas (1 Pedro 5:4).

“De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes.” (Gálatas 5:4)

– A igreja obedece apenas o Novo Testamento de Jesus em matéria de doutrina (autoridade – regra de fé). A Lei, dada por Deus a Moisés, e suas ordenanças teve seu papel (aio), para conduzir todos a obediência e a maioridade em Cristo (Gálatas 3:22-27). Agora, cristãos (judeus e gentios convertidos a Cristo) seguem apenas as instruções do Senhor Jesus dadas através do livro de Atos e das epístolas do Novo Testamento (Ver observações).

Conclusão:

A igreja que pertence a Cristo segue e obedece sua vontade; proclama a verdade; e prega o evangelho, as boas novas da salvação. A “igreja de Cristo” (Ver nota) é “coluna e baluarte da verdade” (1 Timóteo 3:15). A igreja é a noiva do Cordeiro (Apocalipse 19:7-9; 21:9-11). A igreja é “candeeiro de ouro” (Apocalipse 1:12,13,20) de Jesus que reflete a luz dele para toda a humanidade.

Ponto importante: Pode-se perder o candeeiro se não obedecer a voz de Jesus, ou seja, mesmo que uma igreja seja dele, pode vir a deixar de ser se não obedece e não faz o que Ele manda, da forma que Ele quer e espera (veja Apocalipse 2:1-3:22).

A igreja de Cristo é cada um dos filhos de Deus; é o povo chamado para fora do mundo; das concupiscências da carne e da contaminação do pecado. A igreja é o reino de Deus na terra (Colossenses 1:13,14).

Glórias a Deus nas maiores alturas por sua gloriosa igreja.

Observações:

1) Apesar da igreja seguir e obedecer apenas o Novo Testamento como autoridade e regra de fé aos cristãos (doutrina), ela não deve ignorar o Velho Testamento, pois nele se encontra toda a história do povo de Deus, a criação e como Ele conduziu seu povo; as profecias sobre o Messias; Salmos; Provérbios; etc., donde podem ser tiradas inúmeras lições e aplicações para a vida cristã. Como entender o livro de Hebreus se não conhecer o Velho Testamento por exemplo?

2) Igualmente nos evangelhos, que na divisão dos livros da Bíblia se encontra no Novo Testamento, a igreja deve e precisa seguir, obedecer e observar a vida, ensinamentos e atitudes de Jesus (que viveu na terra sob a Antiga Aliança onde cumpriu a Lei – Mateus 15:17) para aprender com seus exemplos e ter um cristianismo atuante e pratico, sempre exercidos com o mesmo amor, compaixão e desprendimento de nosso Senhor e Mestre. Igualmente ao Velho Testamento, nos evangelhos encontramos inúmeras lições e aplicações para a vida cristã aprendidas diretamente pelo exemplo de Cristo.

Nota: “igreja de Cristo” não é nome, é apenas uma designação ou descrição para mostrar a quem ela pertence (a Jesus e não aos homens); pode e deve ser simplesmente “igreja” ou “a igreja”. A igreja não precisa de nome para diferenciar de “outras”, pois é uma só (Mateus 16:18; Efésios 4:4). E qual é a “igreja” verdadeira? É aquela que segue e obedece unicamente a vontade de seu Senhor: Jesus Cristo! Quem acrescenta, retira ou modifica os ensinamentos de Jesus Cristo, sofrerá danos e graves consequências por tais atitudes (conf. Ap 22:18,19).

Quem segue homens e doutrinas humanas, quem não obedece ao Senhor Jesus – “porque não fazeis o que vos mando?” (Lucas 6:46) – e quem volta ou quer obedecer a Lei dada a Moisés e ordenanças (ou parte delas, como dízimo, instrumento musical, etc.), está fora de Cristo – se desliga dele (cf. Gálatas 5:4).

Permaneça em Cristo, siga e obedeça somente a Ele!

Anúncios

2 comentários em “Características da igreja

    Juan disse:
    1 novembro, 2015 às 5:39

    Dízimo vem antes da lei, com Abraao. Durante a lei, e no novo testamento!

      Elcio Marcio respondido:
      10 novembro, 2015 às 21:12

      Prezado Juan, o dízimo, assim como a Lei de Moisés e as ordenanças do Velho Testamento são “rudimentos do mundo” (Colossenses 2:8,20); é “principado e potestade” (2:10), e foram “encravados na cruz” (2:14) por Jesus. Aliás, o dízimo foi legalizado na Lei de Moisés, o que não altera o feito de Jesus na cruz. Leia Colossenses 2:8-23.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s