Jesus é Deus

Jesus sobre as aguas Ia

Hebreus é uma carta que foi direcionada aos judeus que haviam se convertido a Cristo, mostrando a supremacia dele em relação a todas as coisas que eles se apegavam na Antiga Aliança: os anjos, Moisés, Arão, os profetas, etc.

Estes cristãos judeus estavam recuando na fé em Jesus, querendo voltar ao judaísmo por causa da perseguição que estavam sofrendo. Na carta, o autor salienta que o caminho que estão agora, é o único que leva a salvação.

Com argumentação de quem entende do assunto, o autor descreve e equipara o sistema judaico com a superioridade de Cristo sobre ele, sendo que, o desligamento do novo sistema, que é o único aceito por Deus, resulta em condenação.

“Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos. Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.” (Hebreus 2.1-4).

Conforme o autor de Hebreus, Jesus é superior a tudo e a todos; Jesus é soberano! Ele é a plenitude da Divindade conforme escreveu o apóstolo Paulo. Jesus é Deus!

“Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo; porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.” (Colossenses 2.8,9)

A carta é iniciada de forma espetacular declarando a divindade de Jesus, por meio de quem o Pai agora fala; diferentemente da Antiga Aliança (v. 1). Jesus é chamado de Filho e herdeiro de todas as coisas (v. 2).

“Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo.” (Hebreus 1:1,2)

A partir do verso 3 o autor faz diversas afirmações sobre a pessoa de Jesus confirmando sua divindade pelo o que é, e pelo que Ele faz. Nesta parte é que queremos verificar e confirmar a divindade de Jesus:

1) “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser” (Hebreus 1:3a) – Resplendor: Brilho; claridade intensa – Como alguém pode ser o “resplendor da glória” se não for Deus? Ele é a “expressão exata do seu Ser”, ou seja, do ser de Deus! “Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” (João 14.8,9).

2) “Sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder” (Hebreus 1:3b) – Só Deus pode sustentar “todas as coisas pela palavra do seu poder”! Ele falou e aconteceu. “Disse Deus: Haja luz; e houve luz.” (Gênesis 1.3).

3) “Depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas” (Hebreus 1.3c) – Só Deus pode perdoar pecados e consequentemente, fazer a purificação destes pecados. Deus é a Majestade, nas alturas e quem assenta ao seu lado só pode ser Deus também.

4) “tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles” (Hebreus 1.4) – Por um breve período, Jesus sendo Deus se tornou inferior aos anjos (que são criaturas de Deus) quando esvaziou-se de sua glória, tornando-se homem e andou entre nós cheio de graça e de verdade. Tendo vencido a morte e o poder de Satanás, sendo ressurrecto, retomou seu lugar de glória e superioridade sobre eles ao ser elevado aos céus sentando-se a direita de Deus Pai.

5) “E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem” (Hebreus 1:6) – Como uma criatura pode ser adorada por outra criatura? Só Deus pode ser adorado!

6) “Mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de equidade é o cetro do seu reino” (Hebreus 1:8) – Cetro: cajado do pastor; vara de correção; insígnia de reis, autoridades; / equidade: sentimento de justiça; reconhecer o direito – Criaturas não podem sentar-se no trono celestial e serem chamada “ó Deus”. Cetro de equidade: governo de Deus.

7) “No princípio, Senhor, lançaste os fundamentos da terra, e os céus são obra das tuas mãos” (Hebreus 1.10) – Só o Criador pode criar e lançar os fundamentos, as leis que regem o planeta e o sistema em que ele se encontra. A grandiosidade do universo e tudo que há nele, é obra de Deus por meio de Jesus; o verbo de Deus.

“Ora, a qual dos anjos jamais disse: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés? Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?” (Hebreus 1.13-‬14)‬‬‬

Deus colocou todos os inimigos debaixo dos pés de Jesus; e o último inimigo é a morte. Jesus venceu a morte; com Ele venceremos também (Romanos 8.37). Jesus é Deus, e os anjos são seres celestiais, criados por Deus para servir a nosso favor. “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra” (Salmo 34.7).

Jesus é Deus! Entregue-se a Ele, o adore e louve; obedeça-o e confie nele.

“Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.” (Hebreus 13.5)‬

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s