Eles não entram e não deixam entrar

É por causa de homens que se autodenominam “apóstolos”, “pastores e mestres” que muitos não chegarão a Jesus e perderão a salvação. A sociedade ímpia e incrédula generaliza a “fé” e pensa que tudo ligado ao cristianismo é isto que estão acostumados a ver no mundo religioso atual; geralmente polêmicas e escândalos relacionados a dinheiro e a condutas contrárias a fé que professam ter. (A respeito de apóstolos e pastores ver notas 1 e 2 no final)

Não concordamos e não participamos de tais atos! O apóstolo Paulo disse que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 3:23); mas a verdade precisa ser dita. O julgamento pertence a Deus, mas como cristãos, não podemos ficar calados ante tamanho desvio da vontade de Deus (apostasia), gerando desta forma o desinteresse e afastamento de muitos que poderiam seguir e ser salvos por Jesus Cristo.

Continue lendo

Anúncios

Perdedores

Nublado - 2[Micaías] Eis que o SENHOR pôs o espírito mentiroso na boca de todos estes teus profetas e o SENHOR falou o que é mau contra ti. Então, Zedequias, filho de Quenaana, chegou, deu uma bofetada em Micaías e disse: Por onde saiu de mim o Espírito do SENHOR para falar a ti? Disse Micaías: Eis que o verás naquele mesmo dia, quando entrares de câmara em câmara, para te esconderes” (1 Reis 22:23-25).

Geralmente quem perde, “perde” o senso e parte pra briga. Quando alguém perde ou começa perder uma discussão, a tendência é pular para o campo da agressão, seja ela física ou verbal. Quando acaba-se os argumentos ou os argumentos são falhos ou baseados em meras ilusões, o perdedor parte para agressividade.

Em defesa do rei de Israel Acabe, Zedequias, um de seus profetas, perdeu as “estribeiras”. Micaías, o profeta do Senhor, estava profetizando a respeito do que aconteceria a Acabe devido a sua insistente desobediência a Deus (1 Reis 22:17,19-23,25,28); então, Zedequias reagiu em defesa do rei dando-lhe “uma bofetada”.


Falar algo agressivo já machuca e chegar ao ponto de esbofetear alguém, é e sempre será um insulto. Será que um profeta de Deus reagiria desta forma? A reação de Micaías – um verdadeiro profeta de Deus – mostra que não, pois ele não revidou o ato desprezível de Zedequias, mas respondeu com completo domínio de suas ações (“domínio próprio” – Gl 5:23), mais um profecia dada pelo Senhor (v. 25).

A reação de Micaías deve ser a reação dos cristãos – os autênticos e fiéis filhos Deus – ante a opressão, violência e oposição dos homens por causa de sua fé firme e inabalável em Jesus Cristo. Como afirmou o Senhor em suas bem-aventuranças: “Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós” (Mateus 5:11,12).

Portanto, perdedores são aqueles que defendem a mentira cobrindo a verdade para que ela não seja revelada e até usam de força bruta quando preciso. Inúmeros servos de Deus foram injuriados e perseguidos por causa de sua fé no autor e consumador da fé, Jesus Cristo; inclusive, Ele próprio sofreu mais do que ninguém, injúrias, perseguição e morte de cruz, para levar adiante o plano de redenção de Deus Pai. Louvado seja o Senhor por isso.

Palavras para guardar: Bem-aventurado, Regozijar e Exultar

Um coração fechado para a verdade


Nublado - 1“Respondeu ele: Sairei e serei espírito mentiroso na boca de todos os seus profetas. Disse o SENHOR: Tu o enganarás e ainda prevalecerás; sai e faze-o assim” (1 Reis 22:22).

Acabe e Josafá, reis de Israel e Judá respectivamente, ouviram dos 400 profetas de Acabe o que iria acontecer a respeito do combate contra os Sírios, na batalha para retomar a cidade de Ramote-Gileade das mãos deles (1 Reis 22:6). O bom rei Josafá, aceitou o convite de Acabe para pelejar com ele contra os Sírios, arriscando-se em fazer uma aliança com um rei perverso e desobediente a Deus (1 Reis 22:2-4). Mas ele não se contentou em apenas ouvir os profetas de Acabe; ele queria ouvir um verdadeiro profeta de Deus (1 Reis 22:5,7). Micaías então foi chamado, contrariando o rei de Israel. O profeta alertou que nesta batalha o Senhor entregaria Acabe nas mãos do rei da Síria; mas ele não lhe deu ouvidos (1 Reis 22:8,9,14-23).

O coração de Acabe se abriu para as palavras que ele queria ouvir de seus profetas e se fechou para as palavras proferidas por Deus por meio de Seu profeta Micaías (1 Reis 22:6,18). Os dois reis ouviram as mesmas mensagens, tanto dos profetas do rei de Israel, quanto de Micaías. Acabe endureceu seu coração para as palavras do Senhor, e deixou-se enganar pelas palavras de seus profetas, mas Josafá não se deixou enganar pelas palavras destes falsos profetas.

O verso 22 mostra uma parte do pronunciamento de Micaías a Acabe, onde ele revelou que o rei estava sendo enganado pelos seus profetas. Muitos podem questionar o fato de Acabe ter sido enganado e consequentemente condenado por Deus (1 Reis 22:17). Mas, em algumas situações na Bíblia, vemos o coração daqueles que são incrédulos ao Senhor, endurecer, e no caso de Acabe não foi diferente – vale alertar que Micaías alertou o rei, mas ele não deu ouvidos ao profeta de Deus.

A verdade é que Deus é “aquele que sonda mentes e corações,” dando “a cada um segundo as vossas obras” (Apocalipse 2:23). E também o “Senhor conhece os que lhe pertencem” (2 Timóteo 2:19b). Portanto, “aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do Senhor.” (2 Timóteo 2:19c).

O problema de Acabe era o seu caráter e por isso Deus permitiu que seu coração endurecesse. O cristão, o seguidor fiel de Jesus Cristo, onde o que interessa para ele é única e exclusivamente “a verdade, nada além da verdade”, deve ficar longe “da injustiça”, ou seja, da perversidade do coração e da vida. Acabe tinha um coração perverso e era próximo das perversidades da vida, como por exemplo a trama de sua esposa Jezabel para tirar a vida de Nabote, o jezreelita (1 Reis 21:1-16). Como cristãos, devemos ficar longe de toda e qualquer injustiça, por menor que seja e até mesmo contra os nossos “inimigos”, porque até a eles, Jesus nos mandou amar (Mateus 5:43-48).

As reações de Acabe e Josafá em relação ao pronunciamento dos 400 profetas têm a ver com coração. Em Mateus 13:18-23, Jesus conta a parábola do semeador, mostrando 4 tipos de solo, onde o semeador planta as suas sementes. Os solos são os corações dos homens; o semeador é Deus e a semente é a palavra do Senhor ou a semente pura do evangelho. Três dos quatro corações representados pelos solos nesta parábola rejeitam a verdade e apenas um aceita, onde a semente cresce e frutifica. Acabe com seu coração duro e perverso, aceitou prontamente as palavras proféticas que ele queria ouvir de seus próprios profetas, em detrimento da verdade, dita pelo profeta de Deus Micaías. Em contrapartida, Josafá, com seu coração aberto a verdade, rejeitou a mesma mensagem proferida pelos 400 profetas, desejando ouvir um verdadeiro profeta de Deus. Cada “solo” responderá diferentemente em relação à mesma “semente”.

Que sejamos “boa terra”, onde a semente pura do evangelho “frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um” (Mateus 13:23).

Palavras para guardar: Apartar (da injustiça), Amar (incodicionalmente), Frutificar e Produzir

Profetizando ilusões

Reflexão 113

“O mensageiro que fora chamar a Micaías falou-lhe, dizendo: Eis que as palavras dos profetas a uma voz predizem coisas boas para o rei, seja, pois, a tua palavra como a palavra de um deles e fala o que é bom” (1 Reis 22:13).

Um mensageiro enviado pelo rei de Israel Acabe, para chamar o profeta de Deus Micáias, ao qual, o rei não gostava, porque nunca profetizava dele “o que é bom, mas somente o que é mau” (1 Reis 22:8), instruiu a Micaías a não falar nada de mau do rei desta vez, onde ele teria que concordar com as profecias já citadas pelos profetas de Acabe ao seu favor (1 Reis 22:6).

Quem conhece, sabe o que Acabe protagonizou ao lado de sua pagã e igualmente perversa esposa Jezabel. Não era sem motivo que os profetas de Deus não tinham nada de bom para profetizar ao seu respeito. Porém, semelhantemente ao mensageiro do rei, o povo rebelde na época do profeta Isaías declarava: “Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, profetizai-nos ilusões” (Isaías 30:10).

Resumindo toda esta questão da proposta do mensageiro de Acabe ao profeta Micaías, podemos fazer um gancho num jargão muito conhecido no meio político: tudo vai (ou deve) acabar em “Pizza” neste caso e com direito a “sobremesa de marmelada” como diria o bem humorado jornalista “Boris Casoy”; e ainda fazendo menção ao futebol, “pra que mexer em time que está vencendo?” Um verdadeiro profeta de Deus, como Elias e agora Micaías, não entra nesse jogo, pois tem um Senhor a servir e a obedecer.

Hoje não é diferente! Precisamos ser cristãos de fato, discípulos fiéis a Cristo, servindo e obedecendo a voz do Senhor independentemente do que iremos enfrentar por causa disso. Sendo fiéis a Deus e a sua soberana vontade é possível “fazermos” muitos inimigos, assim como Elias, Micaías, Jeremias, dentre outros profetas do Senhor; João Batista, “a voz do que clama no deserto” (João 1:23), o apóstolo Paulo, bem como muitos outros servos de Deus e claro e evidente o próprio Senhor Jesus também o fizeram. Bem disse o apóstolo Paulo: “Se alguém ensina falsas doutrinas e não concorda com a sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino que é segundo a piedade, é orgulhoso e nada entende. Esse tal mostra um interesse doentio por controvérsias e contendas acerca de palavras, que resultam em inveja, brigas, difamações, suspeitas malignas e atritos constantes entre aqueles que têm a mente corrompida e que são privados da verdade, os quais pensam que a piedade é fonte de lucro. De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro, pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos” (1 Timóteo 6:3-8 NVI).

O apóstolo Pedro bem que nos alertou: “Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando. Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus (1 Pedro 4:12-14). Ou seja, não devemos estranhar o sofrimento e a oposição do mundo contra nós e até mesmo daqueles que se dizem “crentes” no Senhor, por sermos fiéis a semente pura do evangelho do Senhor Jesus Cristo, sem os dogmas, doutrinas, preceitos humanos de escravidão e as ilusões preditas pelos profetas ocasionais.

Deus nos ilumine e nos guie a falar somente aquilo que Ele instruiu por suas Sagradas Escrituras e andemos “de modo digno da vocação a que” fomos “chamados” (Efésios 4:1).

Palavras para guardar: Servir e obedecer

Meditação – 2 Pedro 2:1-3

Falsos mestres

 

2-pedro-21-3“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.” (2 Pedro 2:1-3) 

 

– Há muita gente por aí brincando com fogo: “… o nosso Deus é fogo consumidor” (Hebreus 12:29). Dando ordem a quem não recebe ordens: “Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?!” (Romanos 9:20). Vivendo aquilo que não é: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15).

 

Eles estão por toda parte! Eles, os falsos mestres. Aqueles que se apresentam como cordeiros, mas na verdade, são lobos que ao menor descuido das ovelhas as devoram pelas suas artimanhas e palavras que encantam e fascinam o coração no qual há corrupção. Os desavisados, os cambaleantes e os desatentos são presas fáceis para tais homens com suas doutrinas cheias de atrativos aos olhos cobiçosos. Tais doutrinas entram sorrateiramente sem que os desatentos percebam. Muitos aceitam e seguem estas heresias, pois agradam ao coração dividido e preguiçoso. E por causa de condutas baseadas nestas heresias, o caminho do Senhor é difamado.

 

Com suas palavras vãs e cheias de bajulação os falsos mestres vão cada vez mais engordando os lucros obtidos através das suas organizações religiosas sustentada por seus próprios seguidores. É um verdadeiro comércio da “fé” com tais seguidores sendo a “fonte” de dispendioso lucro.

 

No nosso tempo, pode demorar, mas o julgamento daqueles que deturpam a palavra de Deus e rejeitam Jesus se fará com toda certeza, pois já está escrito (João 12:48). Acautelai-vos destes que pervertem a sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo em favor próprio e em detrimento dos outros.