Eles não entram e não deixam entrar

Postado em Atualizado em

É por causa de homens que se autodenominam “apóstolos”, “pastores e mestres” que muitos não chegarão a Jesus e perderão a salvação. A sociedade ímpia e incrédula generaliza a “fé” e pensa que tudo ligado ao cristianismo é isto que estão acostumados a ver no mundo religioso atual; geralmente polêmicas e escândalos relacionados a dinheiro e a condutas contrárias a fé que professam ter. (A respeito de apóstolos e pastores ver notas 1 e 2 no final)

Não concordamos e não participamos de tais atos! O apóstolo Paulo disse que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 3:23); mas a verdade precisa ser dita. O julgamento pertence a Deus, mas como cristãos, não podemos ficar calados ante tamanho desvio da vontade de Deus (apostasia), gerando desta forma o desinteresse e afastamento de muitos que poderiam seguir e ser salvos por Jesus Cristo.

O apóstolo Paulo disse a respeito desses tais “mestres”: “Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade, é enfatuado [soberbo; pretensioso], nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações [provocar polêmica] sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade [zelo e temor a Deus] é fonte de lucro. De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes” (1 Tm 6:3-8).

O apóstolo muitos séculos antes de nós já enfrentava problemas com homens, como ele mesmo disse “cuja mente é pervertida e privados da verdade”, onde supunham que o caminho da fé era fonte de riqueza pessoal. Infelizmente, isto é uma triste realidade nos dias atuais, e muitos são enganados ou se deixam enganar com tais fantasias e fábulas engenhosamente inventadas por eles para arrecadar cada vez mais fundos ao seu favor. Eles pregam de tudo, menos a Cristo, o arrependimento e a salvação nEle. Paulo escreveu a Timóteo: “haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas” (2 Tm 4:3,4). O problema não é só de tais “mestres”, mas também quem os sustenta e segue.

O “evangelho” que eles pregam é outro e não o do Senhor Jesus Cristo. Paulo também disse: “Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema” (Gl 1:6-9). A igreja em seu início já enfrentava problemas com homens “privados da verdade”.

Paulo disse que mesmo que ele (apóstolo autêntico de Jesus) ou um anjo do céu pregasse um “evangelho” diferente (que vai além do ensinado por Jesus) seria anátema, ou seja, amaldiçoado. Infelizmente, o que mais se tem visto nos dias atuais, são outros “evangelhos” e muitos os têm seguido em detrimento da verdade “sentindo coceira nos ouvidos”. E muitos os seguem, não porque não sabem ou não tem oportunidade, mas porque os preferem, ao invés do verdadeiro e único evangelho do Senhor Jesus Cristo.

Já ouvi muitos dizerem: “eu creio em Deus, mas não tenho religião”. Ok, mas não basta crer, pois o diabo também crê – e treme, veja: “Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem.” (Tg 2:19); e ele até utiliza as sagradas escrituras, porém, não para o bem, mas para o mal, como na tentação a Jesus no deserto. Isto mostra claramente que “crer” em Deus, utilizar e citar a Bíblia não faz de ninguém um mensageiro de Deus, pastor, mestre, apóstolo ou discípulo de Cristo. Não basta “crer”, é preciso temer, ou seja, reverenciar, seguir e obedecer à vontade de Jesus. “Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?” (Lucas 6:46). Jesus é o Senhor e dono da igreja, não os homens com suas artimanhas, dogmas e preceitos humanos de escravidão.

E o que é “religião”? Tiago responde: “A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.” (Tg 1:27). Não seguimos “religião” (instituições humanas; dogmas; credos e preceitos humanos), seguimos Jesus Cristo, procurando colocar em pratica seus ensinamentos. “Religião”, no parecer de Tiago, é cumprir com a vontade de Deus (cuidar uns dos outros, dos necessitados e desfavorecidos) e não se contaminar (se corromper) com as concupiscências da carne, ou seja, dizer não aos frutos da carne (Rm 1:18-32; 1 Co 6:9,10; Gl 5:19-21; Ap 21:8), e viver guiado pelo Espírito de Deus frutificando segundo a “árvore” (Gl 5:22,23).

Judas, irmão de Tiago, em sua carta disse a respeito de falsos mestres – que sempre existiram e existirão, até serem extinguidos com a volta do Senhor Jesus: “Estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas; ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre” (Jd 12,13). Palavras fortes para descrever a real situação dos falsos mestres se não arrependerem de seus pecados.

A respeito dos falsos mestres, Jesus ensinou: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis” (Mt 7:15-20). Como reconhecer um falso profeta ou mestre? Pelos seus frutos serão reconhecidos.

Jesus disse: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando!” (Mt 26:13)

Não há dinheiro que chegue pra “comprar” um “terreno no céu” (como dizem por aí), pois ele de nada vale na pátria eterna. Se alguém quiser chegar ao céu terá que ser pela única forma existente: se arrepender de seus pecados e se render a Cristo como seu único Senhor e Salvador.

“Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas” (At 2:38-41).

“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (Jo 14:6)

Os falsos profetas e mestres não entram e não deixam entrar, mas Jesus sim! Arrependa-se de seus pecados, “salvai-vos desta geração perversa” e se entregue a Jesus como seu único Senhor e Salvador, e siga, e obedeça somente a Ele!

Notas:

1) Apóstolo (gr. apostolos): enviado, mensageiro. Mensageiro inicial do evangelho e da doutrina de Jesus Cristo. Requisitos para ser um apóstolo de Jesus: 1) Chamado e escolhido pelo Senhor diretamente; 2) companheiro de Jesus durante seu ministério terrestre; 3) testemunha ocular da ressurreição de Cristo. Leia: Gálatas 1:1, Apocalipse 2:2 e 2 Coríntios 11:13.

2) Pastores (gr. poimen): cabeça; superintendente, supervisor; também chamados de bispos (gr. episkopos): supervisor, superintendente; e presbíteros (gr. presbyteros): ancião; que são características de um mesmo homem, e não de três obreiros distintos. Os requisitos (qualificações) para exercer esta função na igreja do Senhor Jesus se encontram nas cartas do apóstolo Paulo a Timóteo (1 Tm 3:1-7) e Tito (Tt 1:5-9); virtudes estas indispensáveis para quem almeja exercê-las (1 Tm 3:2; Tt 1:7). Salientando ainda, que precisa ter uma pluralidade (dois ou mais) de homens qualificados em cada congregação (igreja local) para se estabelecer o presbitério (At 14:23; 20:17; Fp 1:1; Tt 1:5). Dentre as qualificações estão: “esposo de uma só mulher, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar, inimigo de contendas, não avarento, que governe bem a própria casa, não seja neófito, irrepreensível, que tenha filhos crentes [convertidos e fiéis a Cristo] etc.

Anúncios

Um comentário em “Eles não entram e não deixam entrar

    Kleber disse:
    21 junho, 2013 às 12:27

    Vem aí o ruir do sistema e seus filhotes; Sistema religioso, sistema político e sistema financeiro, os subsistemas também… E os agregados também… E os mentirosos também…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s