Soldados de Cristo

Soldado - 3

“Suporte comigo os sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado se deixa envolver pelos negócios da vida civil, já que deseja agradar aquele que o alistou. Semelhantemente, nenhum atleta é coroado como vencedor, se não competir de acordo com as regras. O lavrador que trabalha arduamente deve ser o primeiro a participar dos frutos da colheita. Reflita no que estou dizendo, pois o Senhor lhe dará entendimento em tudo. Lembre-se de Jesus Cristo, ressuscitado dos mortos, descendente de Davi, conforme o meu evangelho, pelo qual sofro a ponto de estar preso como criminoso; contudo a palavra de Deus não está presa. Por isso, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus, com glória eterna. Esta palavra é digna de confiança: Se morremos com ele, com ele também viveremos; se perseveramos, com ele também reinaremos. Se o negamos, ele também nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.” (2 Timóteo 2.3-13 NVI)

Como cristãos precisamos decidir a quem agradar: a Deus ou ao mundo. Aos dois é impossível! Jesus disse: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro” (Mateus 6.24). Tiago confirmou: “não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (4.4).

Continue lendo

Anúncios

Carros de Israel e seus cavaleiros

2 Rs 2.11,12

 

“Indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, tomando as suas vestes, rasgou-as em duas partes.” (2 Reis 2:11,12)

Elias, o exército de Deus de um só homem estava partindo. Porém, deixava outro exército: Eliseu. A princípio, este profeta ficou apreensivo, mas sabemos pelos relatos bíblicos que Eliseu cumpriu cabalmente a sua tarefa de continuar o trabalho de Elias. Na verdade, precisamos sempre lembrar, que a obra é de Deus e não dos homens. A batalha contra o mal e o pecado continuará até a volta de Cristo; sai um combatente, entra outro. Elias combateu “o bom combate” (2 Timóteo 4:7), assim como Eliseu e bem mais tarde o apóstolo Paulo, dentre tantos outros servos de Deus e soldados de Cristo.

Continue lendo

Não resista ao mais forte

Rei Acabe - 6Então, um homem entesou o arco e, atirando ao acaso, feriu o rei de Israel por entre as juntas da sua armadura; então, disse este ao seu cocheiro: Vira e leva-me para fora do combate, porque estou gravemente ferido. A peleja tornou-se renhida naquele dia; quanto ao rei, seguraram-no de pé no carro defronte dos siros, mas à tarde morreu. O sangue corria da ferida para o fundo do carro.” (1 Reis 22:34,35)

Na bíblia NVI lemos: “A batalha foi violenta durante todo o dia” (v.35a). O rei de Israel foi gravemente ferido e pediu socorro ao seu cocheiro que não pôde ajudá-lo devido a violenta batalha que se travava em Ramote-Gileade contra os sírios. O ferimento era tão grave que resultou em grande perda de sangue. Sem poder contar com a ajuda de seus servos, ocupados demais em um combate onde não havia tempo para parar, Acabe “ao pôr-do-sol, morreu” (2 Crônicas 18:34).

Seja qual for a razão de Acabe em pedir para sair do combate – combate que ele foi amplamente alertado e advertido pelo profeta Micaías – seja para o bem de suas tropas ou para que o inimigo não o visse vulnerável, ele recebeu, ou melhor, colheu o que plantou. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7). O rei de Israel semeou perversidade, desobediência e irreverência para com Deus, que é o Senhor da vida, e como resultado colheu a morte; não por falta de diversas tentativas do Senhor em salvá-lo mediante a ação de seus profetas.

Percebemos claramente na história de Acabe que é inútil resistir a quem é mais forte ou mais sábio do que nós. Jesus disse ao apóstolo Paulo, até então perseguidor da igreja: “Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões (Atos 26:14b). A respeito deste provérbio de Jesus, Álvaro Pestana escreveu: “Aguilhão, neste caso, era um tipo de vara com ponta utilizada para tocar o boi que conduzia um carro. Se o boi fosse rebelde e tentasse dar coice em seu condutor, não iria atingi-lo, mas provavelmente atingiria a ponta do aguilhão, que como uma lança iria machucá-lo. A imagem que vem em nossa mente por meio destas palavras de Jesus nos diz: É inútil resistir – o rebelde só machuca a si mesmo.” (citação retirada do livro Provérbios do homem Deus).

O rei Acabe resistiu a Deus resultando em sua morte, confirmando as predições dos profetas do Senhor. Em contrapartida, o apóstolo Paulo, quando ainda era perseguidor dos cristãos, ferrenho defensor da doutrina farisaica, temente a Deus, mas seguindo um caminho contrário a vontade do Senhor, não teve como resistir àquele ao qual ele tinha de servir (Atos 9:1-22). Paulo, ainda como Saulo, achava que estava agindo corretamente, agradando ao Senhor ao prender e consentir na morte daqueles – que no entender dele e de outros patrícios e irmãos de fé – pertenciam a uma seita; uma nova seita chamada de “o caminho” (Atos 24:14,15). Paulo não só deixou de resistir a Deus, como também de perseguir os cristãos,  tornando-se um dos maiores defensores e proclamadores do caminho, da verdade e da vida, o Senhor Jesus Cristo.

Palavras para guardar: Semear (amor, temor e obediência a Deus) e Ceifar (vida e vida em abundância)

Meditação – Judas 3

Batalhando pela fé

judas-3

 

Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.” (Judas 3)

 

– Quantas vezes somos obrigados a deixar de estimular uns aos outros ao amor e as boas obras para “lutar” contra opositores? Infelizmente estes opositores, muitas vezes, estão em nosso meio, dizendo-se cristãos, mas andam na contra-mão da verdade. Em nome do bem-estar, popularidade e aprovação dos homens, preferem satisfazer o desejo popular do que agradar verdadeiramente a Deus.

Conhecemos pela história da igreja e do povo de Deus na antiga aliança que todos aqueles que permaneceram firmes em sua fé para com Deus, foram perseguidos ou mortos. Não é uma tarefa fácil estar entre os poucos que optam em ficar na verdade. É preciso ter uma fé inabalável (Hebreus 11); é preciso de poder, amor e moderação, que só vem através do Espírito Santo (2 Timóteo 1:7) e é preciso ser obediente e disciplinado aos mandamentos de Deus (1 João 5:3).

Alguns cristãos tem se esforçado para edificação mútua, enquanto que poucos se esforçam sobre-maneira na luta contra a fé fácil, uma vida cristã superficial e as falsas doutrinas. Sejamos como judas, irmão de Tiago, servo do Senhor Jesus, que se aplicava ativamente na defesa da fé verdadeira que vem lá do alto.