Criador

Nada está fora

Postado em Atualizado em

Absolutamente nada que acontece na terra está fora do controle, presciência e governo do Deus todo poderoso, Criador dos céus e da terra; e o fato de Deus permitir muitas coisas acontecerem aqui não quer dizer que é a sua vontade. Existe uma diferença muito grande entre “permissão” e “vontade” de Deus.

O homem em sua arrogância, cada vez mais se afasta de seu Criador, cometendo toda sorte de pecado e injustiças. Porém, Jesus continua sustentando pelo seu poder todas as coisas criadas, e quando o Pai dizer “basta”, é chegada a hora da volta do Salvador, querendo os homens ou não; aceitando ou não; crendo ou não.

Leia o resto deste post »

Anúncios

Em paz com o Criador

Postado em Atualizado em

O profeta Micaías sofreu as consequências de dizer a verdade, comprovando sua fidelidade a Deus. O rei Acabe estava envolto na idolatria – esta introduzida quando de sua união a pagã Jezabel – , e também na perversidade de seu coração, teimoso e desobediente.

Leia o resto deste post »

Santidade

Postado em Atualizado em

“Sede santos, porque eu sou santo” (1 Pedro 1:16). O apóstolo citou palavras do próprio Criador registradas em Levítico 20:7. Deus é santo, e a santidade é o que adorna sua morada.

O salmista escreveu:

“Os teus mandamentos permanecem firmes e fiéis; a santidade, SENHOR, é o ornamento perpétuo da tua casa.” (Salmo 93:5 NVI)

Leia o resto deste post »

Criação – Cronologia dos acontecimentos

Postado em Atualizado em

– Cronologia dos acontecimentos –  Gênesis 1

 

Sol-1“Disse Deus: Haja luz; e houve luz.” (vers. 3). “E disse Deus: Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas.” (vers. 6). “Disse também Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim se fez.” (vers. 9). “E disse: Produza a terra relva, ervas que dêem semente e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra. E assim se fez.” (vers. 11). “Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos.” (vers. 14). “Disse também Deus: Povoem-se as águas de enxames de seres viventes; e voem as aves sobre a terra, sob o firmamento dos céus.” (vers. 20). “Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez.” (vers. 24). “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.” (vers. 26).

 

O exame cuidadoso desse capítulo revelará uma apresentação sistemática na qual os atos criativos são comprimidos num padrão de seis dias, havendo oito atos criativos introduzidos pelas palavras “E disse Deus…”. O esquema pode ser entendido mediante uma tabela simples:

 

cronologia-dos-acontecimentos-2

 

Se insistirmos numa estrita cronologia de acontecimentos aqui, ficaremos perturbados pelo aparecimento dos luminares no 4º dia. Esse problema é evitado se tratarmos o primeiro capítulo de Gênesis tal como outras passagens da Bíblia, que envolvem grandes fatos, mas que não tratam de maneira cronológica (conforme narrativas da tentação, em Mateus 4 e Lucas 4, que salientam o fato da tentação, mas apresentam ordens diferentes; vide também Salmo 78:13,15,24, que salienta o fato do cuidado de Deus pelo povo libertado de Israel, mas que coloca o incidente sobre o maná após o ferir da rocha, o que é contrário à ordem apresentada no relato do livro de Êxodo). Se o escritor do primeiro capítulo de Gênesis estivesse preocupado em salientar o fato da criação, e não particularmente com a sequência cronológica dos acontecimentos, então terá sido evitado certo número de dificuldades.

 

Existe um esquema razoavelmente consistente no arranjo do material apresentado. Os primeiros três dias foram preparatórios. A criação da luz e a preparação do firmamento, dos mares, da terra e da vegetação, são preliminares ao estabelecimento de habitantes num local preparado. As aves povoam o firmamento, os peixes povoam os mares, e os animais e o homem povoam a terra. Os dias primeiro e quarto não seguem com exatidão esse esquema, ainda que exista certa correlação. Os dias terceiro e sexto têm, cada qual, dois atos criativos. O sétimo dia fica fora do esquema e fala sobre o descanso desfrutador de Deus, quando Sua obra estava completa, dando o padrão de descanso para Sua criação, um dia em cada sete.

 

“E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito” (Gênesis 2:2).

 

Texto retirado de “O novo dicionário da Bíblia” volume 1 – Editor J. D. Douglas

 

–Ë—

– Comentário

Por Elcio M. P. Soares

 

Cataratas-1– Existem muitas coisas que gostaríamos de saber – como os detalhes e as minúcias de toda a criação – mas não nos foi revelado, pois “as coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Deuteronômio 29:29). Tudo que precisávamos saber para crer em Deus, Ele nos revelou, e nas Escrituras Sagradas encontramos tudo que precisamos para ter vidas agradáveis ao Criador: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16,17).

 

É preciso ter fé para crer que a Bíblia é a revelação de Deus para o homem. “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem” (Hebreus 11:1). “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6). A Bíblia não é uma enciclopédia de ciências, astronomia e/ou história secular; a Bíblia é a revelação de Deus ao homem, para que este creia que Ele existe e é o Criador de todas as coisas, e desta forma O adore em temor e tremor conforme Filipenses 2:12,13.

 

Se quisermos ver Deus é só contemplar as obras de Sua criação “porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Porém a impiedade e perversão dos homens, os cegaram, não permitindo reconhecer a soberania de Deus Criador e por isso são “indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis” (Romanos 1:20-23).

 

Os que defendem o “Big-bang” e a evolução da vida a partir de uma explosão; são os mesmos que descendem do macaco – um animal irracional -, pois é desta forma que começa a existência humana nos relatos apresentados por aqueles que defendem tal teoria. Deus criou dois seres distintos – os irracionais que são os animais e o racional que é o homem (conforme Gênesis 1). Negar isso é negar a própria existência; é negar a Deus. É insensatez, estupidez e falta de sabedoria. “Deixai os insensatos e vivei; andai pelo caminho do entendimento” (Provérbios 9:6). “O temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino” (Provérbios 1:7). “Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens” (1 Coríntios 1:25). Sábio é aquele que crê em Jesus, ou seja, aquele que se apequena diante dEle e de seu senhorio. “… exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos” (Mateus 11:25).

 

Que possamos reconhecer nossa pequenez diante de Deus – o Criador -, crendo, obedecendo-O e temendo-O, pois Ele é o Senhor. “Ah! Senhor Deus, eis que fizeste os céus e a terra com o teu grande poder e com o teu braço estendido; coisa alguma te é demasiadamente maravilhosa” (Jeremias 32:17)

 

Janeiro – 2009

Meditação – 1 Pedro 4:19

Postado em Atualizado em

Sofrendo segundo a vontade de Deus

 

“Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem.” (1 Pedro 4:19)

 

– Abel foi assassinado porque agradou a Deus em sua oferta. Noé sofreu zombarias e escárnios, pois foi obediente a Deus cumprindo suas instruções. Abraão sacrificou – espiritualmente – seu filho oferecendo-o a Deus. José foi acusado e preso por ter se mantido fiel a Deus e a seu senhor no Egito. Moisés sofreu duramente no deserto por ter rejeitado ser reconhecido como um egípcio e desfrutar de ínfimos prazeres pecaminosos. Jó foi duramente provado quando Deus permitiu que Satanás tirasse tudo o que ele possuía, inclusive a saúde física. Os primeiros discípulos foram intensamente perseguidos e mortos por causa de sua nova fé em Cristo.

Muitos outros poderiam ser descritos aqui conforme a Palavra de Deus, mas finalizo com Jesus, que sendo Deus, foi rejeitado pelos homens, torturado e morto por ter sido obediente a vontade do Pai.

Todos eles encomendaram suas almas ao Supremo Criador, pois praticaram a verdade, sendo obedientes a Deus apesar da perseguição, injustiça e desprezo dos homens. Quer encomendar sua alma ao Senhor? Pratique o bem e garanta sua salvação em Cristo.