503

“Quando estava o Senhor para tomar Elias ao céu por um redemoinho, Elias partiu de Gilgal em companhia de Eliseu. Disse Elias a Eliseu: Ficaste aqui, porque o Senhor me enviou a Betel. Respondeu Eliseu: Tão certo como vive o Senhor e vive a tua alma, não te deixarei. E, assim, desceram a Betel.” (2 Reis 2:1,2)

“Amigos são maravilhosos. ‘Não é bom que o homem esteja só’ (Gênesis 2:18). Precisamos de pessoas perto de nós para nos animar a fazer o que é certo – amigos como Jônatas, que fortaleceu a mão de Davi em Deus (1 Samuel 23:16; tradução literal). Muitos de nós encontramos os melhores amigos cristãos dentro da própria família carnal: um cônjuge cristão, pais cristãos ou filhos cristãos. Se soubéssemos que este seria nosso último dia na terra, iríamos querer estar com esses amigos, em cuja presença é mais fácil sermos bons.” (David Roper – em “Elias” estudo sobre o profeta publicado por “Verdade para hoje”)

Como o David escreveu “precisamos de pessoas perto de nós para nos animar a fazer o que é certo”. Infelizmente muitos não aceitam uma amizade assim, pois pensam que um amigo deve concordar com tudo que ele faz e também que um amigo não deve ou não pode repreender e admoestar o outro.

Verdadeiros amigos agem como as descrições do David: ele nunca abandona seu amigo – mesmo que este o decepcione ou não concorde com ele – ; ele procura ajudá-lo em momentos de dor, dificuldade ou queda (ser amigo quando está tudo bem é muito fácil, mas o verdadeiro amigo é aquele que está presente ou não desiste, quando todos já o abandonaram); ele o repreende, admoesta e exorta a seguir o caminho de Cristo, como Cristo quer e não como o amigo “acha” melhor.

Muitos perdem verdadeiras amizades por puro egoísmo, infantilidade e orgulho. Não deixe que os verdadeiros amigos se vão, como as coisas que já aconteceram e não voltam mais. Faça com um amigo como Eliseu fez com Elias, “tão certo como vive o Senhor e vive a tua alma, não te deixarei.”